Professor(a),
acesse esse e milhares de outros planos de aula!

Na Teachy você acessa milhares de questões, cria listas, planos de aula e provas.

Cadastro Gratuito

Plano de aula de Mercados Financeiros

Objetivos

(10 - 15 minutos)

Os objetivos desta etapa do plano de aula são:

  1. Introduzir o tópico dos Mercados Financeiros: A primeira tarefa é dar uma visão geral do que é o mercado financeiro, sua relevância e importância na economia global. Os alunos devem ser capazes de entender o papel fundamental que estes mercados desempenham na facilitação do fluxo de fundos e na transferência de risco.

  2. Explicar as habilidades necessárias para entender os Mercados Financeiros: Os alunos devem ser apresentados às habilidades importantes necessárias para uma compreensão efetiva dos mercados financeiros. Isso inclui princípios financeiros básicos, conhecimento dos diferentes tipos de mercados financeiros, entendimento da estrutura do mercado e dos participantes, competência em análise financeira e de investimentos, proficiência em modelagem financeira, conhecimento das leis e regulamentos, habilidades interpessoais e de negociação, habilidade de análise crítica e tomada de decisão, atualização constante e ética e integridade.

  3. Estabelecer as expectativas da aula: Os alunos devem ter uma ideia clara do que esperar da aula, incluindo os tópicos a serem abordados, as atividades planejadas, os resultados de aprendizagem esperados e como serão avaliados.

Objetivos secundários:

  1. Proporcionar uma visão clara da estrutura da aula: Os alunos devem entender a sequência de tópicos e atividades que serão desenvolvidas durante a aula.

  2. Encorajar a participação ativa: Os alunos devem ser incentivados a participar ativamente da aula, fazendo perguntas e contribuindo para discussões.

Introdução

(15 - 20 minutos)

A introdução da aula será dividida em quatro partes:

  1. Revisão do Conteúdo da Aula Anterior: Vamos começar relembrando os conceitos-chave da aula anterior sobre "Finanças Corporativas". Isso inclui temas como o que são finanças corporativas, sua importância, a relação entre risco e retorno, e o papel do gerente financeiro. Essa revisão é crucial para estabelecer a base para o entendimento dos Mercados Financeiros.

  2. Apresentação de Situações-Problema: Para despertar o interesse dos alunos e ilustrar a relevância do assunto, serão apresentadas duas situações-problema. A primeira situação poderia ser sobre um indivíduo que herdou uma grande soma de dinheiro e está considerando investir no mercado de ações, mas não sabe por onde começar. A segunda situação poderia envolver uma empresa que precisa levantar capital para expansão, mas está incerta sobre qual mercado financeiro usar para este fim. Ambas as situações destacam a necessidade de entender os Mercados Financeiros.

  3. Contextualização da Importância do Assunto: Em seguida, será explicado aos alunos como os Mercados Financeiros são vitais para a economia global. Isso será feito mostrando exemplos de como esses mercados facilitam o fluxo de capital de partes com excesso de capital para partes que precisam dele, permitindo tanto a transferência de risco como a venda de produtos financeiros.

  4. Introdução do Tópico com Aspectos Intrigantes: Por último, o tópico será introduzido de forma atraente, utilizando curiosidades e histórias interessantes. Por exemplo, poderia ser mencionado que o mercado de ações mais antigo do mundo, a Bolsa de Valores de Amsterdã, foi estabelecida em 1602 pela Companhia das Índias Orientais, uma empresa de comércio e navegação. Outra curiosidade poderia ser sobre o crash do mercado de ações de 1929, que iniciou a Grande Depressão, demonstrando a influência que os Mercados Financeiros podem ter na economia global.

Desenvolvimento

(55 - 60 minutos)

O desenvolvimento da aula será dividido em cinco partes:

  1. Revisão dos conhecimentos prévios: Antes de mergulhar no tópico dos Mercados Financeiros, é fundamental revisar alguns princípios financeiros básicos. O professor deve revisar conceitos como juros, taxas de juros, valor presente e futuro, custo de capital, risco e retorno. Isso ajudará a estabelecer uma base sólida sobre a qual os alunos podem construir seu entendimento dos Mercados Financeiros. (10 - 15 minutos)

  2. Apresentação da Teoria sobre os Mercados Financeiros: Nesta etapa, o professor deve apresentar uma visão detalhada dos diferentes tipos de Mercados Financeiros. Isso deve incluir uma explicação sobre o mercado de ações, mercado de títulos, mercado cambial (forex), mercado de commodities, mercado monetário, mercado de derivativos. O professor deve explicar as características únicas de cada mercado, como eles funcionam, e os principais participantes envolvidos. (15 - 20 minutos)

  3. Atividade Prática 1 - Análise de Balanços Financeiros: Para essa atividade, os alunos precisarão de acesso a balanços financeiros de empresas reais, que podem ser facilmente encontrados online. O professor deve guiar os alunos através da análise de um balanço, explicando os diferentes componentes e como eles se relacionam com o desempenho financeiro da empresa. Isso vai ajudar os alunos a desenvolverem suas habilidades de análise financeira. (10 - 15 minutos)

  4. Atividade Prática 2 - Modelagem Financeira: Nesta atividade, os alunos precisarão de acesso a um computador com Excel ou um programa de planilha similar. O professor deverá fornecer uma introdução básica à modelagem financeira, explicando como ela pode ser usada para prever o desempenho futuro de uma empresa ou investimento. Os alunos poderão então tentar criar seu próprio modelo financeiro simples, com a orientação do professor. (15 - 20 minutos)

  5. Discussão sobre as leis e regulamentos dos Mercados Financeiros: Para encerrar a seção de desenvolvimento, o professor deve discutir as leis e regulamentos que governam os Mercados Financeiros. Isso deve incluir uma explicação sobre as leis de valores mobiliários, normas de conformidade, e o papel dos reguladores na supervisão dos mercados. O professor também deve enfatizar a importância da ética e integridade no setor financeiro. (10 - 15 minutos)

Retorno

(10 - 15 minutos)

A etapa de retorno é crucial para consolidar o aprendizado dos alunos e identificar quaisquer lacunas em sua compreensão. Esta etapa será dividida em três partes:

  1. Discussão sobre as Atividades Práticas: Depois que os alunos completarem as atividades práticas sobre análise de balanços financeiros e modelagem financeira, haverá uma discussão em grupo para revisar o que foi aprendido. O professor deve incentivar os alunos a compartilhar suas experiências, dificuldades e descobertas ao realizar as atividades. Isso permitirá que os alunos vejam como a teoria se conecta com a prática e ajudará o professor a identificar quaisquer áreas de dificuldade. (5 - 7 minutos)

  2. Reflexão sobre o Aprendizado: Em seguida, os alunos serão convidados a refletir sobre o que aprenderam na aula. Isso será feito pedindo que eles escrevam em um papel respostas para duas perguntas: "Qual foi o conceito mais importante aprendido hoje?" e "Quais questões ainda não foram respondidas?". Essa atividade não só ajudará os alunos a consolidar seu aprendizado, mas também fornecerá feedback valioso para o professor sobre a eficácia da aula. (3 - 5 minutos)

  3. Exercícios para Casa: Para reforçar o que foi aprendido, será sugerida uma lista de exercícios sobre os Mercados Financeiros para os alunos resolverem em casa. Esses exercícios devem abordar os diferentes tipos de mercados financeiros, análise financeira, modelagem financeira e as leis e regulamentos dos Mercados Financeiros. Isso permitirá que os alunos pratiquem e aprofundem seu entendimento sobre o assunto fora da sala de aula. (2 - 3 minutos)

Conclusão

(10 - 15 minutos)

A etapa de conclusão da aula é destinada a consolidar a compreensão dos alunos sobre o assunto e a ressaltar a relevância dos Mercados Financeiros na vida cotidiana e no mundo dos negócios. O processo de conclusão será desenvolvido em quatro partes:

  1. Revisão dos Conteúdos Principais: Nesta etapa, o professor deve revisar os conceitos-chave abordados durante a aula. Isso inclui uma recapitulação dos diferentes tipos de Mercados Financeiros, a importância do entendimento da estrutura do mercado e dos participantes do mercado, a relevância da análise financeira e de investimentos, a utilidade da modelagem financeira, e a necessidade de conhecimento das leis e regulamentos que governam os Mercados Financeiros. (3 - 5 minutos)

  2. Conexão entre Teoria, Prática e Aplicações: O professor deve destacar como a teoria apresentada na aula se conecta com as atividades práticas realizadas pelos alunos e como isso se aplica ao mundo real. Isso poderia ser feito mostrando como a análise financeira e a modelagem financeira podem ser usadas na tomada de decisões de investimento, e como um conhecimento sólido dos Mercados Financeiros pode ser útil em várias carreiras e situações da vida. (3 - 5 minutos)

  3. Sugestão de Materiais Extras: Para ajudar os alunos a aprofundar seu conhecimento dos Mercados Financeiros, o professor deve sugerir materiais de leitura e de estudo adicionais. Isso pode incluir livros, artigos, vídeos, podcasts, e cursos online sobre o assunto. Além disso, os alunos podem ser incentivados a acompanhar as notícias financeiras para se manterem atualizados sobre as tendências e eventos do mercado. (2 - 3 minutos)

  4. Reforço da Relevância do Assunto: Por fim, o professor deve reiterar a importância dos Mercados Financeiros. Isso pode ser feito ressaltando como esses mercados desempenham um papel crucial na economia global, facilitando o fluxo de fundos de partes com excesso de capital para partes que precisam dele. Além disso, o professor pode mencionar como um entendimento profundo dos Mercados Financeiros pode beneficiar os alunos em suas vidas pessoais e profissionais, seja ao fazer investimentos pessoais, ao trabalhar em uma empresa que depende dos Mercados Financeiros para levantar capital, ou ao se envolver em qualquer carreira relacionada a finanças. (2 - 3 minutos)

Deseja ter acesso a todos os planos de aula? Faça cadastro na Teachy!

Gostou do Plano de Aula? Veja outros relacionados:

Discipline logo

Finanças

Finanças na Indústria de Saúde

Objetivos (15 - 20 minutos)

  1. Compreensão dos conceitos básicos de finanças na indústria da saúde: Os alunos devem ser capazes de entender e aplicar conceitos essenciais como fluxo de caixa, balanço patrimonial, análise de custos, modelos de preços e gestão financeira na indústria da saúde.

  2. Compreensão das estruturas de custos na saúde e dos modelos de financiamento: Os alunos devem ser capazes de identificar e entender como os custos são alocados na indústria da saúde, além de familiarizarem-se com os diferentes modelos de financiamento de saúde e os impactos de cada um desses modelos na prestação de cuidados de saúde.

  3. Compreensão das regulamentações governamentais e sua influência nas operações financeiras no setor de saúde: Os alunos devem ser capazes de entender a legislação e regulamentos relevantes, como a Lei de Portabilidade e Responsabilidade de Seguros de Saúde (HIPAA) e a Lei de Cuidados Acessíveis (ACA), e como eles afetam as operações financeiras no setor de saúde.

Objetivos secundários:

  1. Desenvolvimento de habilidades de análise de dados e planejamento financeiro: Os alunos devem ser capazes de coletar, analisar e interpretar dados financeiros, criar orçamentos, fazer projeções de receitas e despesas, e planejar financeiramente a longo prazo.

  2. Desenvolvimento de habilidades de comunicação e interpessoais: Os alunos devem ser capazes de comunicar efetivamente suas ideias e conclusões, além de colaborar com outros profissionais de saúde, gestores, e stakeholders.

  3. Desenvolvimento de habilidades de resolução de problemas e tomada de decisão: Os alunos devem ser capazes de identificar e resolver problemas financeiros complexos no setor de saúde, e fazer decisões estratégicas com base em informações financeiras.

Introdução (10 - 15 minutos)

  • Revisão de conteúdos anteriores: Os alunos são recordados dos conceitos básicos de finanças aprendidos na aula anterior, com ênfase em aplicação desses conceitos na indústria sem fins lucrativos. É importante que os alunos compreendam esses conceitos para que possam aplicá-los à indústria da saúde.

  • Situações problema: Duas situações hipotéticas são apresentadas aos alunos, ambas envolvendo desafios financeiros em um contexto de saúde. Por exemplo, um hospital está lutando para equilibrar seus custos de operação com as receitas geradas, ou um centro de saúde está tentando decidir se deve investir em um novo equipamento médico caro. Esses problemas servem como pontos de partida para a discussão e exploração do tópico da aula.

  • Contextualização: Os alunos são informados sobre a importância da gestão financeira na indústria da saúde. São apresentados exemplos reais de como a má gestão financeira pode levar a falhas no atendimento ao paciente, enquanto uma boa gestão financeira pode melhorar a qualidade e a eficiência dos cuidados de saúde.

  • Introdução ao tópico: O professor introduz o tópico de Finanças na Indústria da Saúde, explicando que se refere ao estudo e aplicação de princípios financeiros e gestão de recursos dentro da indústria da saúde. São apresentadas duas curiosidades para atrair a atenção dos alunos: por exemplo, o fato de que a indústria da saúde representa uma grande porcentagem do PIB em muitos países, ou a maneira como a Lei de Cuidados Acessíveis (ACA) mudou o modelo de financiamento de saúde nos Estados Unidos.

Desenvolvimento (50 - 60 minutos)

Parte 1: Apresentação da Teoria (20 - 25 minutos)

  1. Conceitos básicos de finanças na indústria da saúde: O professor deve revisitar conceitos essenciais de finanças como fluxo de caixa, balanço patrimonial, análise de custos, modelos de preços e gestão financeira. Em seguida, deve-se fazer a ligação desses conceitos com a indústria da saúde, explicando de que forma são aplicados neste setor.

  2. Estruturas de custos na saúde: O professor deve apresentar aos alunos os diferentes tipos de custos na indústria da saúde, incluindo custos fixos, custos variáveis, custos diretos e indiretos, e como eles são alocados.

  3. Modelos de financiamento de saúde: Nesta parte, o professor deve descrever os diferentes tipos de pagamento na saúde, como pagamento por serviço, pagamento capitation, pagamento baseado em desempenho, e explicar o impacto de cada um desses modelos na prestação de cuidados de saúde.

  4. Regulamentações governamentais: Aqui, o professor deve apresentar as principais leis e regulamentos que afetam o setor de saúde, como a Lei de Portabilidade e Responsabilidade de Seguros de Saúde (HIPAA) e a Lei de Cuidados Acessíveis (ACA), e como eles influenciam as operações financeiras na indústria da saúde.

Parte 2: Atividades Práticas (30 - 35 minutos)

  1. Atividade de análise de dados financeiros: Os alunos são divididos em grupos e cada grupo recebe um conjunto de dados financeiros de uma organização de saúde fictícia. Eles devem analisar os dados, identificar tendências e padrões, e usar as informações para tomar decisões financeiras estratégicas. Esta atividade ajudará os alunos a desenvolverem suas habilidades de análise de dados e tomada de decisão. Material necessário: conjuntos de dados financeiros impressos ou disponibilizados digitalmente.

  2. Atividade de planejamento e orçamento: Ainda em grupos, os alunos recebem a tarefa de criar um orçamento para um projeto de saúde. Eles devem projetar as receitas e despesas, e planejar financeiramente a longo prazo. Esta atividade permitirá que os alunos apliquem os conceitos de planejamento e orçamento de forma prática. Material necessário: planilhas de orçamento em branco, calculadoras.

  3. Atividade de resolução de problemas: Os grupos são apresentados a um problema financeiro complexo que uma organização de saúde poderia enfrentar, como a necessidade de cortar custos sem comprometer a qualidade dos cuidados. Eles devem identificar e avaliar possíveis soluções para o problema, e apresentar suas conclusões à classe. Esta atividade ajudará os alunos a desenvolverem suas habilidades de resolução de problemas e comunicação. Material necessário: descrições de problemas financeiros complexos.

Ao final das atividades, o professor deve promover uma discussão em classe sobre as soluções propostas pelos alunos, destacando os diferentes aspectos da gestão financeira na indústria da saúde que foram explorados durante a atividade.

Retorno (15 - 20 minutos)

  • Revisão da atividade prática: O professor deve começar revisando as atividades práticas realizadas pelos alunos. Eles devem discutir as soluções propostas pelos grupos, destacando como elas se relacionam com os conceitos teóricos discutidos durante a aula. Isso permitirá que os alunos vejam a aplicação prática da teoria e entenderão melhor como os conceitos de finanças são aplicados na indústria da saúde.

  • Autoavaliação dos alunos: Os alunos são incentivados a refletir sobre o que aprenderam durante a aula. Eles devem escrever em um papel, em um minuto, respostas para perguntas como: "Qual foi o conceito mais importante aprendido hoje?" e "Quais questões ainda não foram respondidas?". Isso permitirá que os alunos consolidem seu aprendizado e identifiquem quaisquer áreas que ainda possam ser confusas.

  • Exercícios para casa: Ao final da aula, o professor deve fornecer aos alunos uma lista de exercícios sobre os tópicos apresentados na aula. Esses exercícios devem ser resolvidos em casa e servirão para reforçar o aprendizado dos alunos. Eles também permitirão que o professor avalie a compreensão dos alunos sobre o tópico e identifique quaisquer áreas que possam precisar de revisão ou explicação adicional na próxima aula.

  • Feedback dos alunos: Por fim, o professor deve pedir aos alunos que forneçam feedback sobre a aula. Eles podem discutir o que gostaram, o que não gostaram, e o que acharam mais desafiador. Isso permitirá ao professor ajustar futuras aulas para melhor atender às necessidades e preferências dos alunos.

Conclusão (10 - 15 minutos)

  • Resumo e Recapitulação: O professor deve revisar brevemente os principais conceitos e insights discutidos durante a aula, relembrando aos alunos sobre os fundamentos das finanças na indústria da saúde, as estruturas de custos, os modelos de financiamento de saúde, a regulamentação governamental, e as habilidades práticas desenvolvidas, como análise de dados, planejamento e orçamento, resolução de problemas e tomada de decisão.

  • Conexão entre Teoria e Prática: O professor deve destacar como as atividades práticas realizadas na aula permitiram aos alunos aplicar os conceitos teóricos aprendidos à situações do mundo real na indústria da saúde. Isso servirá para reafirmar a relevância e a aplicabilidade dos conceitos de finanças na indústria da saúde.

  • Materiais adicionais: O professor deve sugerir recursos adicionais, como livros, artigos, podcasts, vídeos, e sites especializados para os alunos que desejam aprofundar seus conhecimentos sobre finanças na indústria da saúde. Isso não só reforçará o que foi aprendido, mas também permitirá que os alunos explorem o tópico de maneira mais independente.

  • Relevância do Assunto: Para concluir, o professor deve ressaltar a importância do gerenciamento financeiro eficaz na indústria da saúde, lembrando aos alunos que esse é um tópico que tem implicações diretas na qualidade e acessibilidade dos cuidados de saúde. É essencial que os futuros profissionais de saúde compreendam esses conceitos para garantir a sustentabilidade financeira das organizações de saúde, enquanto fornecem cuidados de alta qualidade aos pacientes.

Ver mais
Discipline logo

Finanças

Finanças Corporativas

Objetivos

(10 - 15 minutos)

  1. Introdução ao mundo das Finanças Corporativas: Os alunos deverão adquirir uma compreensão geral do que é a disciplina de Finanças Corporativas, quais são suas perguntas fundamentais e quais tópicos ela engloba. Isso os preparará para aprofundar-se nos conceitos e habilidades específicas necessárias para um profissional desta área.

  2. Compreensão dos princípios financeiros: Os alunos deverão entender os princípios financeiros fundamentais que regem a Finanças Corporativas, incluindo o valor do dinheiro no tempo, fluxos de caixa descontados, gerenciamento de risco, custo de capital e valor presente líquido.

  3. Visão geral das habilidades necessárias em Finanças Corporativas: Os alunos deverão ter uma ideia clara das habilidades que precisam dominar para se tornarem profissionais competentes de Finanças Corporativas, desde habilidades analíticas e de tomada de decisão até competências em modelagem financeira, software financeiro e de análise, avaliação de risco, comunicação e apresentação, e ética e responsabilidade profissional.

Objetivos Secundários:

  1. Compreensão da importância da ética em Finanças Corporativas: Além de entender o que é ética e responsabilidade profissional, os alunos devem compreender por que estas são habilidades essenciais em Finanças Corporativas e qual é o impacto de não aderir a padrões éticos e normas profissionais.

  2. Entendimento do papel do profissional de Finanças Corporativas: Os alunos devem entender o papel que os profissionais de Finanças Corporativas desempenham em uma organização e como eles podem contribuir para o sucesso financeiro e a geração de valor para os stakeholders.

Introdução

(15 - 20 minutos)

  • Revisão de conteúdos anteriores: Iniciar a aula com uma rápida revisão do conteúdo da aula anterior, especificamente sobre "Imóveis e Finanças". Isso permitirá que os alunos façam conexões entre os diferentes tópicos e compreendam melhor o papel das Finanças Corporativas.

  • Situações-problema: Apresentar aos alunos duas situações reais que envolvem Finanças Corporativas. Por exemplo, uma empresa que precisa decidir se financia a expansão de suas operações por meio de dívida ou capital próprio, ou uma organização que está considerando um investimento de capital significativo e precisa avaliar se o investimento criará valor para seus acionistas.

  • Contextualização: Explicar a importância de Finanças Corporativas no mundo real. Por exemplo, descrever como as decisões financeiras podem impactar a saúde financeira de uma organização, a satisfação dos acionistas e até mesmo a economia em geral.

  • Ganhar a atenção dos alunos: Introduzir o tópico de Finanças Corporativas de uma forma que capte a atenção dos alunos. Por exemplo, compartilhar uma história sobre uma empresa bem conhecida que usou princípios de Finanças Corporativas para se tornar mais lucrativa, ou apresentar uma curiosidade relacionada, como a maior fusão corporativa da história ou a história de um CEO que tomou uma decisão financeira arriscada que acabou resultando em um grande sucesso.

Desenvolvimento

(50 - 60 minutos)

  • Revisão de conceitos fundamentais (10 minutos): O professor deve revisar os conceitos básicos de Finanças que são cruciais para o entendimento de Finanças Corporativas, como fluxo de caixa, taxa de desconto, valor presente e futuro, e risco e retorno.

  • Introdução à teoria das Finanças Corporativas (15 minutos): O professor deve introduzir os princípios básicos das Finanças Corporativas, incluindo a estrutura de capital, a política de dividendos, a avaliação de empresas, as fusões e aquisições, e a gestão de riscos. Deve-se explicar como esses conceitos se relacionam com as perguntas fundamentais de Finanças Corporativas: como uma organização deve financiar suas atividades e quais investimentos ela deve fazer para maximizar o valor dos acionistas.

  • Apresentação das habilidades necessárias em Finanças Corporativas (10 minutos): O professor deve detalhar as habilidades essenciais para um profissional de Finanças Corporativas, destacando a importância de cada uma e dando exemplos de como elas são aplicadas na prática.

  • Atividade Prática 1: Análise de um Relatório Financeiro (10 minutos): O professor deve distribuir uma cópia de um relatório financeiro real de uma empresa e orientar os alunos na análise do mesmo. Eles devem identificar as principais partes do relatório, interpretar os números e tirar conclusões sobre a situação financeira da empresa. Isso ajudará os alunos a praticar suas habilidades de análise financeira e tomada de decisão. Materiais necessários: cópias de um relatório financeiro real.

  • Atividade Prática 2: Simulação de Decisão de Investimento (15 minutos): O professor deve apresentar aos alunos um cenário no qual eles são o CFO de uma empresa que precisa decidir se deve realizar um investimento de capital significativo. Os alunos devem utilizar os princípios de Finanças Corporativas para avaliar o investimento, considerando fatores como o fluxo de caixa esperado, o custo de capital, o valor presente líquido e o risco associado. Materiais necessários: descrição do cenário de investimento, calculadoras financeiras ou software de modelagem financeira.

Ao longo do desenvolvimento, o professor deve se esforçar para criar um ambiente de aprendizado interativo, incentivando perguntas e discussões entre os alunos. Além disso, exemplos do mundo real devem ser usados sempre que possível para ilustrar os conceitos e tornar o conteúdo mais relatable e interessante.

Retorno

(15 - 20 minutos)

  • Revisão de conceitos e habilidades (10 minutos): Os alunos devem, em grupos pequenos, revisar os conceitos e habilidades aprendidas na aula e discutir como eles se aplicam às situações-problema apresentadas no início da aula. O professor deve circular pela sala, ouvindo as discussões, fazendo perguntas e fornecendo feedback.

  • Reflexão individual (5 minutos): Cada aluno deve receber um pedaço de papel e ter um minuto para escrever as respostas para as seguintes perguntas: "Qual foi o conceito mais importante aprendido hoje?" e "Quais questões ainda não foram respondidas?". Isso ajudará o professor a avaliar o que foi aprendido e quais áreas precisam de reforço na próxima aula.

  • Exercícios para casa (5 minutos): O professor deve fornecer uma lista de exercícios sobre Finanças Corporativas para os alunos resolverem em casa. Esses exercícios devem ser projetados para ajudar os alunos a praticar as habilidades e conceitos aprendidos na aula.

  • Encerramento da aula: O professor deve terminar a aula resumindo os principais pontos discutidos, respondendo a quaisquer perguntas restantes e explicando o que será coberto na próxima aula. Isso ajudará a consolidar o aprendizado e preparar os alunos para o próximo tópico.

Conclusão

(10 - 15 minutos)

  • Resumo dos principais pontos (5 minutos): O professor deve recapitular os principais conceitos e habilidades aprendidos durante a aula, incluindo os princípios financeiros fundamentais, as perguntas fundamentais das Finanças Corporativas e as habilidades necessárias para um profissional desta área.

  • Conexão entre teoria e prática (3 minutos): O professor deve ressaltar como as atividades práticas da aula ajudaram a aplicar a teoria das Finanças Corporativas ao mundo real, reforçando a importância de habilidades como análise financeira, tomada de decisão e modelagem financeira.

  • Sugestão de materiais extras (2 minutos): O professor deve sugerir materiais adicionais para os alunos que desejam aprofundar seu conhecimento em Finanças Corporativas. Isso pode incluir livros, artigos, vídeos online, software de modelagem financeira, etc.

  • Significado prático das Finanças Corporativas (5 minutos): Por fim, o professor deve enfatizar a importância das Finanças Corporativas no mundo real, explicando como as decisões financeiras afetam a saúde financeira de uma organização, a satisfação dos acionistas e a economia em geral. Pode-se utilizar exemplos do mundo real para ilustrar essas conexões.

Ver mais
Discipline logo

Finanças

Finanças no Setor Sem Fins Lucrativos

Objetivos

< (15 - 20 minutos) >

  1. Introdução ao Setor Sem Fins Lucrativos: O objetivo é fornecer aos alunos uma compreensão clara do ambiente financeiro único do setor sem fins lucrativos. Eles devem entender o conceito de organizações sem fins lucrativos e o papel crítico que desempenham na sociedade.

  2. Entendimento dos Princípios Financeiros Básicos: Os alunos devem compreender os conceitos básicos de finanças, incluindo a leitura e interpretação de relatórios financeiros, orçamento e controle de custos. Eles devem ser capazes de aplicar esses princípios em uma organização sem fins lucrativos.

  3. Entendimento das Práticas Específicas de Finanças do Setor Sem Fins Lucrativos: O objetivo é que os alunos entendam as práticas financeiras específicas do setor sem fins lucrativos, como a captação de recursos, gestão de projetos, contabilidade para organizações sem fins lucrativos e conformidade regulatória.

Objetivos Secundários:

  1. Aplicações Práticas: Os alunos devem ser capazes de aplicar os conceitos aprendidos a situações reais do setor sem fins lucrativos, através de estudos de caso e discussões em sala de aula.

  2. Desenvolvimento de Habilidades de Comunicação e Gestão: Os alunos devem desenvolver habilidades efetivas de comunicação e gestão para lidar com uma variedade de stakeholders, incluindo doadores, voluntários, pessoal, gestão e conselho de administração.

  3. Compreensão da Ética e Compliance: Os alunos devem compreender as regulamentações governamentais e éticas que afetam as organizações sem fins lucrativos, bem como a importância da transparência e da responsabilidade no setor.

Introdução

< (15 - 20 minutos) >

  • Revisão de Conteúdo Prévio: Começar a aula lembrando os alunos do conteúdo da aula anterior sobre "Planejamento de Sucessão", destacando como a sucessão e a continuidade são questões críticas para as organizações sem fins lucrativos. Revisar os conceitos básicos de finanças que os alunos já aprenderam, como a interpretação de relatórios financeiros e o controle de custos.

  • Situações Problemas: Introduzir duas situações problemas que destacam a importância de uma gestão financeira eficaz no setor sem fins lucrativos. Por exemplo, o desafio de uma organização sem fins lucrativos que luta para equilibrar suas fontes de financiamento, ou uma instituição de caridade que enfrenta problemas de conformidade regulatória.

  • Contextualização: Relacionar o tópico com situações reais, como a recente crise financeira global e seus efeitos sobre o setor sem fins lucrativos. Discutir como as organizações sem fins lucrativos tiveram que se adaptar e inovar para sobreviver e continuar a prestar serviços essenciais.

  • Ganhar a Atenção dos Alunos: Compartilhar duas curiosidades ou histórias interessantes relacionadas ao tema. Uma possível história pode ser a de uma organização sem fins lucrativos bem conhecida que enfrentou desafios financeiros e como ela os superou. Uma curiosidade pode ser como a contabilidade para organizações sem fins lucrativos difere significativamente da contabilidade para empresas com fins lucrativos.

Esta introdução tem como objetivo preparar os alunos para a aula, despertando seu interesse e fornecendo um contexto relevante para o material que será abordado.

Desenvolvimento

< (60 - 70 minutos) >

  • Revisão dos Conceitos Financeiros Básicos: < (10 - 15 minutos) > Revisar os conceitos financeiros básicos, como leitura e interpretação de relatórios financeiros, orçamento e controle de custos. Fazer perguntas para verificar o entendimento dos alunos e reforçar os pontos-chave.

  • Apresentação da Teoria - Finanças em Organizações Sem Fins Lucrativos: < (20 - 25 minutos) > Explicar os detalhes específicos das finanças no setor sem fins lucrativos, como a captação de recursos, a gestão de fundos e a conformidade regulatória. Discutir sobre fund accounting, geralmente aceito nas práticas de contabilidade (GAAP), gestão de risco em investimentos e previsão financeira. Utilizar exemplos reais para ilustrar cada ponto.

  • Atividade Prática 1 - Análise de Relatórios Financeiros: < (10 - 15 minutos) > Fornecer relatórios financeiros de uma organização sem fins lucrativos fictícia para os alunos analisarem. Eles deverão identificar fontes de financiamento, as despesas mais significativas e avaliar a saúde financeira geral da organização. Esta atividade vai ajudar a consolidar a compreensão dos alunos sobre os princípios financeiros e como são aplicados em organizações sem fins lucrativos.

    Materiais necessários: Cópias dos relatórios financeiros, canetas, papel.

  • Atividade Prática 2 - Estudo de Caso de Captação de Recursos: < (15 - 20 minutos) > Apresentar um estudo de caso de uma organização sem fins lucrativos que está tentando aumentar suas fontes de financiamento. Os alunos devem analisar o caso e sugerir estratégias de captação de recursos, considerando as restrições regulatórias, éticas e sociais. Esta atividade ajudará os alunos a entender a complexidade da gestão de recursos em organizações sem fins lucrativos.

    Materiais necessários: Cópias do estudo de caso, canetas, papel.

Este desenvolvimento tem como objetivo reforçar a teoria com atividades práticas, permitindo que os alunos apliquem o que aprenderam e vejam como os conceitos se traduzem na prática.

Retorno

< (15 - 20 minutos) >

  • Revisão das Atividades Práticas: < (5 - 10 minutos) > Rever as atividades práticas realizadas, destacando como elas se conectam com a teoria apresentada. Discutir as respostas dos alunos para a análise de relatórios financeiros e o estudo de caso de captação de recursos. Fazer perguntas para verificar o entendimento dos alunos e reforçar os pontos-chave.

  • Auto-reflexão dos Alunos: < (5 - 10 minutos) > Propor que os alunos escrevam em um papel, em um minuto, respostas para perguntas como: "Qual foi o conceito mais importante aprendido hoje?" e "Quais questões ainda não foram respondidas?". Realizar uma breve discussão em sala de aula para compartilhar e esclarecer dúvidas que possam ter surgido.

  • Exercício de Casa: < (5 - 10 minutos) > Sugerir uma lista de exercícios sobre o tópico apresentado em sala de aula para que os alunos resolvam em casa. Estes exercícios podem incluir a análise de mais relatórios financeiros de organizações sem fins lucrativos, a elaboração de um plano de captação de recursos para uma organização fictícia, e questões sobre conformidade regulatória e ética.

Esta etapa de retorno tem como objetivo consolidar o aprendizado, permitindo que os alunos reflitam sobre o que aprenderam e pratiquem ainda mais os conceitos através de exercícios de casa.

Conclusão

< (10 - 15 minutos) >

  • Resumo do Conteúdo: Recapitular os principais conceitos aprendidos na aula, desde os princípios financeiros básicos até as práticas específicas de finanças do setor sem fins lucrativos. Relembrar a importância do gerenciamento de projetos, contabilidade para organizações sem fins lucrativos, gestão de recursos, previsão e análise financeira, compliance e ética, relações com stakeholders e gestão de recursos humanos.

  • Conexão entre Teoria e Prática: Explicar como as atividades práticas realizadas na aula, como a análise de relatórios financeiros e o estudo de caso de captação de recursos, ajudaram a conectar a teoria com a prática. Ressaltar que o conhecimento adquirido na aula não é apenas teórico, mas também altamente aplicável na vida real.

  • Materiais Complementares: Sugerir materiais adicionais para os alunos aprofundarem seu conhecimento, como livros, artigos, vídeos e sites especializados no tema. Uma boa sugestão de leitura é o livro "Finanças para Organizações Sem Fins Lucrativos", de Murray Dropkin e Jim Halpin.

  • Importância do Assunto: Reiterar a importância das finanças no setor sem fins lucrativos e como a gestão financeira adequada pode impactar significativamente a sustentabilidade e a eficácia dessas organizações. Destacar que as habilidades adquiridas nesta aula são fundamentais para quem deseja trabalhar ou já trabalha no setor sem fins lucrativos.

Esta etapa de conclusão serve para reforçar o aprendizado, fornecer recursos adicionais e ressaltar a relevância e aplicabilidade do assunto no mundo real.

Ver mais
Economize seu tempo usando a Teachy!
Na Teachy você tem acesso a:
Aulas e materiais prontos
Correções automáticas
Projetos e provas
Feedback individualizado com dashboard
Mascote Teachy
BR flagUS flag
Termos de usoAviso de PrivacidadeAviso de Cookies

2023 - Todos os direitos reservados

Siga a Teachy
nas redes sociais
Instagram LogoLinkedIn LogoTwitter Logo