Professor(a),
acesse esse e milhares de outros planos de aula!

Na Teachy você acessa milhares de questões, cria listas, planos de aula e provas.

Cadastro Gratuito

Plano de aula de Coesão Gramatical

Objetivos (5 - 7 minutos)

Objetivos Principais:

  1. Compreender o conceito de coesão gramatical e sua importância na construção do sentido nos textos.
  2. Identificar e aplicar os diferentes mecanismos de coesão gramatical (referenciação, substituição, elipse e conexão) na escrita e na leitura de textos.

Objetivos Secundários:

  1. Promover a habilidade de análise e interpretação de textos, a partir do reconhecimento dos mecanismos de coesão gramatical utilizados.
  2. Desenvolver a competência de produção de textos coesos e coerentes, por meio da prática de exercícios de aplicação dos mecanismos de coesão gramatical.

Objetivos Terciários:

  1. Estimular a reflexão crítica sobre a importância da coesão gramatical para a eficácia da comunicação escrita.
  2. Fomentar a autonomia do aluno na busca por conhecimento e esclarecimento de dúvidas, através do uso de recursos digitais e bibliográficos.

Introdução (10 - 15 minutos)

  1. Revisão de Conteúdos Anteriores (3 - 5 minutos): O professor deve iniciar a aula relembrando conceitos importantes que foram abordados em aulas anteriores, como a estrutura e organização textual, a função das palavras e a importância do contexto na compreensão de um texto. Essa revisão é fundamental para que os alunos possam compreender e aplicar de forma efetiva os conceitos de coesão gramatical.

  2. Situações-Problema (3 - 5 minutos): O professor pode apresentar aos alunos duas situações-problema que envolvam a falta de coesão gramatical. Por exemplo, um texto em que as sentenças não estejam bem conectadas e outro em que as palavras não sejam bem referenciadas. O professor pode perguntar aos alunos o que eles acham desses textos e se conseguem identificar a falta de coesão. Essas situações servem para despertar o interesse dos alunos pelo tema e para que percebam a importância da coesão gramatical na escrita e leitura de textos.

  3. Contextualização (2 - 3 minutos): O professor deve explicar aos alunos a importância da coesão gramatical no dia a dia, tanto na escrita de textos formais (como redações e relatórios) quanto informais (como mensagens de texto e e-mails), e também na leitura e compreensão de textos diversos. O professor pode exemplificar como a falta de coesão gramatical pode levar a mal-entendidos na comunicação escrita.

  4. Introdução do Tópico (2 - 3 minutos): Para despertar o interesse dos alunos, o professor pode introduzir o tópico da coesão gramatical contando uma curiosidade ou história relacionada. Por exemplo, pode mencionar como a coesão gramatical é fundamental em textos jurídicos, onde a falta de clareza pode levar a interpretações erradas e a consequências sérias. Outra possibilidade é contar a história de um escritor famoso que era conhecido por sua habilidade em utilizar a coesão gramatical para criar textos ricos e envolventes.

Desenvolvimento (20 - 25 minutos)

  1. Atividade de Storyline (10 - 12 minutos):

    • O professor deve dividir a turma em grupos de 4 a 5 alunos e entregar a cada grupo uma folha de papel grande e canetas coloridas.
    • Cada grupo receberá uma história curta, mas com várias lacunas. Cada lacuna representa um ponto em que os alunos devem aplicar um mecanismo de coesão gramatical (referenciação, substituição, elipse e conexão).
    • A tarefa dos grupos é preencher as lacunas de forma a tornar a história coesa e compreensível. Eles devem usar as canetas coloridas para indicar qual mecanismo de coesão foi utilizado em cada ponto.
    • O professor deve circular pela sala, observando e orientando os grupos conforme necessário.
    • No final da atividade, cada grupo deve apresentar sua história para a turma, explicando os mecanismos de coesão que utilizaram.
  2. Atividade de Caça ao Tesouro (10 - 12 minutos):

    • Ainda em grupos, os alunos receberão um conjunto de textos curtos e variados (carta, notícia, poema, trecho de livro, etc.) que foram propositalmente escritos com erros de coesão gramatical.
    • O objetivo da atividade é que os alunos identifiquem e corrijam os erros, aplicando os mecanismos de coesão gramatical aprendidos.
    • Para tornar a atividade mais lúdica, o professor pode propor que a turma que corrigir todos os textos no menor tempo seja a vencedora.
    • Ao final da atividade, o professor deve revisar com a turma as correções feitas, esclarecendo dúvidas e reforçando os conceitos de coesão gramatical.
  3. Discussão em Grupo (3 - 5 minutos):

    • Após as atividades, o professor deve promover uma discussão em grupo para que os alunos compartilhem suas percepções e aprendizados.
    • O professor pode fazer perguntas direcionadas para estimular a reflexão dos alunos, como: "Qual mecanismo de coesão vocês acharam mais desafiador de aplicar?" ou "Vocês conseguem identificar agora a importância da coesão gramatical na comunicação escrita?".
    • Essa discussão é uma oportunidade para o professor esclarecer dúvidas remanescentes e reforçar os conceitos aprendidos.

Retorno (8 - 10 minutos)

  1. Revisão em Grupo (3 - 5 minutos):

    • O professor deve chamar cada grupo para apresentar brevemente as soluções encontradas durante as atividades de Storyline e Caça ao Tesouro.
    • Durante as apresentações, o professor deve incentivar os outros grupos a fazerem perguntas ou comentários, promovendo assim uma troca de ideias entre os alunos.
    • O professor deve fazer intervenções pontuais, ressaltando os pontos que foram bem trabalhados e corrigindo eventuais equívocos, sempre reforçando a importância da coesão gramatical para a compreensão e produção de textos.
  2. Conexão com a Teoria (2 - 3 minutos):

    • Após as apresentações, o professor deve fazer uma revisão dos conceitos teóricos apresentados no início da aula, conectando-os com as atividades práticas realizadas pelos alunos.
    • O professor pode, por exemplo, destacar como a atividade de Storyline permitiu aos alunos entenderem na prática a importância de referenciar corretamente as palavras e frases no texto para garantir a coesão.
    • Da mesma forma, o professor pode ressaltar como a atividade de Caça ao Tesouro ajudou os alunos a perceberem a necessidade de substituir palavras já mencionadas no texto por pronomes, evitando repetições desnecessárias.
  3. Reflexão Final (2 - 3 minutos):

    • Para finalizar, o professor deve propor que os alunos reflitam individualmente por um minuto sobre as seguintes perguntas:
      1. Qual foi o conceito mais importante aprendido hoje?
      2. Quais questões ainda não foram respondidas?
    • Após o tempo de reflexão, o professor pode pedir a alguns alunos que compartilhem suas respostas com a turma.
    • O professor deve anotar as questões não respondidas, que servirão como ponto de partida para a próxima aula ou para aprofundamento individual dos alunos.
  4. Feedback e Encerramento (1 minuto):

    • O professor deve agradecer a participação de todos, ressaltar os pontos positivos da aula e dar um breve feedback sobre o desempenho da turma.
    • Por fim, o professor deve lembrar aos alunos de revisarem os conteúdos estudados em casa e de estarem preparados para a próxima aula.

Conclusão (5 - 7 minutos)

  1. Resumo e Recapitulação (2 - 3 minutos):

    • O professor deve iniciar a Conclusão da aula fazendo um resumo dos principais pontos abordados, reforçando a definição de coesão gramatical e os diferentes mecanismos utilizados para sua aplicação (referenciação, substituição, elipse e conexão).
    • É importante que o professor enfatize a importância desses mecanismos na construção do sentido nos textos e na eficácia da comunicação escrita.
  2. Conexão entre Teoria, Prática e Aplicações (1 - 2 minutos):

    • Em seguida, o professor deve explicar como a aula conectou a teoria (com a apresentação inicial dos conceitos de coesão gramatical), a prática (com as atividades de Storyline e Caça ao Tesouro) e as aplicações (com a discussão sobre a importância da coesão gramatical no dia a dia e a correção dos textos).
    • O professor pode ressaltar como as atividades práticas permitiram aos alunos aplicar e compreender de forma efetiva os conceitos teóricos apresentados.
  3. Materiais Extras (1 minuto):

    • O professor deve sugerir alguns materiais extras para os alunos que desejam aprofundar seus conhecimentos sobre coesão gramatical. Isso pode incluir livros, sites, vídeos e exercícios online.
    • O professor pode, por exemplo, indicar um livro de gramática que aborde o tema de forma mais detalhada, um site com exercícios interativos de coesão gramatical, e um vídeo explicativo no YouTube.
  4. Importância do Assunto (1 minuto):

    • Para concluir, o professor deve reforçar a importância do assunto abordado para a vida dos alunos.
    • O professor pode mencionar como a habilidade de aplicar a coesão gramatical de forma correta e eficiente é fundamental em diversas situações do cotidiano, desde a escrita de um e-mail até a produção de um trabalho acadêmico.
    • Além disso, o professor pode enfatizar como a compreensão e o uso adequado da coesão gramatical contribuem para a clareza e a eficácia da comunicação escrita, uma habilidade essencial em qualquer profissão.

Deseja ter acesso a todos os planos de aula? Faça cadastro na Teachy!

Gostou do Plano de Aula? Veja outros relacionados:

Discipline logo

Português

Determinantes do Substantivo: Sentido para o Texto - EF07LP03', 'EF07LP08', 'EF07LP13

Introdução

Relevância do Tema

O estudo dos determinantes do substantivo é de importância crucial para o desenvolvimento do raciocínio linguístico dos alunos, não apenas na disciplina de Português, mas em todas as outras disciplinas que envolvem a leitura e a escrita. O entendimento dessas pequenas palavras, muitas vezes negligenciadas, é o que determina o sentido preciso de uma frase ou texto, o que guiará a interpretação correta e eficaz.

Contextualização

O estudo dos determinantes do substantivo se encaixa dentro do tópico de análise sintática, uma das principais competências linguísticas trabalhadas no 7º ano do Ensino Fundamental. Dentro do vasto universo da língua portuguesa, entender como e por que os substantivos são determinados é fundamental para a construção de uma escrita e comunicação eficazes. Esta habilidade prepara os alunos para tópicos mais complexos a serem abordados no futuro, como a concordância nominal e verbal, e a produção de textos com mais rigor e domínio da norma culta.

Desenvolvimento Teórico

Componentes dos Determinantes

  • Artigos: São palavras que antecipam o substantivo, determinando-o de maneira específica ou generalizada.
    • Artigos Definidos: "O", "A", "Os", "As". Indicam seres já conhecidos ou determinados de alguma forma.
    • Artigos Indefinidos: "Um", "Uma", "Uns", "Umas". Apontam para seres não especificados, genéricos, desconhecidos ou indeterminados.
  • Numerais: Palavras que indicam quantidade, ordem ou posição do substantivo.
    • Numerais Cardinais: "Um", "Dois", "Três",...
    • Numerais Ordinais: "Primeiro", "Segundo", "Terceiro",...
    • Numerais Multiplicativos: "Duplo", "Triplo", "Quádruplo",...
  • Demonstrativos: Indicam a posição de um objeto em relação às pessoas do discurso.
    • Demonstrativos de Primeira Pessoa: "Este", "Esta", "Estes", "Estas".
    • Demonstrativos de Segunda Pessoa: "Esse", "Essa", "Esses", "Essas".
    • Demonstrativos de Terceira Pessoa: "Aquele", "Aquela", "Aqueles", "Aquelas".
  • Possessivos: Indicam a posse de algo, estabelecendo uma relação de pertencimento.
    • Possessivos de Primeira Pessoa: "Meu", "Minha", "Meus", "Minhas".
    • Possessivos de Segunda Pessoa: "Teu", "Tua", "Teus", "Tuas".
    • Possessivos de Terceira Pessoa: "Seu", "Sua", "Seus", "Suas".
  • Indefinidos: Referem-se de maneira vaga, imprecisa ou indeterminada ao substantivo.
    • Indefinidos de Terceira Pessoa: "Algum", "Alguma", "Alguns", "Algumas".
    • Indefinidos Negativos: "Nenhum", "Nenhuma", "Nenhuns", "Nenhumas".

Termos-Chave

  • Determinante: Palavra que acompanha ou antecede o substantivo, modificando o seu sentido.
  • Substantivo: Palavra que nomeia seres, objetos, lugares, sentimentos, etc.
  • Concordância Nominal: Processo pelo qual os determinantes devem concordar, em número e gênero, com os substantivos aos quais se referem.

Exemplos e Casos

  • Exemplo 1: Artigos Definidos e Indefinidos

    • "O cachorro" (Artigo Definido): Referência a um cachorro específico.
    • "Um cachorro" (Artigo Indefinido): Referência a qualquer cachorro.
  • Exemplo 2: Numerais

    • "Dois gatos" (Numeral Cardinal): Refere-se a dois gatos, sem dizer a posição.
    • "O primeiro aluno" (Numeral Ordinal): Refere-se ao aluno que está em primeiro lugar.
  • Exemplo 3: Demonstrativos

    • "Este livro" (Demonstrativo de Primeira Pessoa): O livro está próximo da pessoa que fala.
    • "Esse problema" (Demonstrativo de Segunda Pessoa): O problema está próximo da pessoa com quem se fala.
  • Exemplo 4: Possessivos

    • "Meu carro" (Possessivo de Primeira Pessoa): O carro pertence à pessoa que fala.
    • "Seu lápis" (Possessivo de Terceira Pessoa): O lápis pertence a uma pessoa que não é a que fala.
  • Exemplo 5: Indefinidos

    • "Algumas frutas" (Indefinidos de Terceira Pessoa): Refere-se a um número indeterminado de frutas.

Resumo Detalhado

Pontos Relevantes

  • Importância dos Determinantes: São os determinantes que dão sentido, especificidade e nuances de significado aos substantivos que acompanham. Eles não devem ser ignorados, pois desempenham um papel crucial na compreensão do significado de uma frase ou texto.
  • Classificação dos Determinantes: Os determinantes são classificados em vários tipos - artigos, numerais, demonstrativos, possessivos e indefinidos. Cada um tem sua especificidade e função.
  • Artigos Definidos e Indefinidos: O correto uso dos artigos definidos e indefinidos é essencial para indicação de seres conhecidos ou especificados e seres genéricos ou não especificados, respectivamente.
  • Numerais: Os numerais, dependendo de sua classificação - cardinal, ordinal ou multiplicativo - indicam quantidade, ordem ou posição do substantivo.
  • Demonstrativos: Estes direcionam a posição de um objeto ou ser em relação às pessoas do discurso.
  • Possessivos: Sinalizam posse, delimitando o grau de pertencimento em uma relação.
  • Indefinidos: Referem-se de forma vaga, imprecisa ou indeterminada ao substantivo, ampliando o campo de possibilidades ou sugerindo incerteza.
  • Concordância Nominal: Os determinantes, assim como outros termos (adjuntos adnominais, pronomes, etc), devem concordar em número e gênero com os substantivos aos quais se referem.

Conclusões

  • Papel dos Determinantes na Comunicação: Os determinantes são ferramentas essenciais na comunicação, pois ajudam a precisar o sentido e a forma como entendemos os substantivos.
  • Domínio das Classificações dos Determinantes: Distinguir e utilizar corretamente os diferentes tipos de determinantes permite uma expressão mais precisa e rica, promovendo a melhoria da qualidade da comunicação.
  • Contextualização dos Determinantes: A escolha do determinante a ser usado é feita com base no contexto e na intenção do falante/escritor, e o entendimento disso é crucial para uma compreensão mais profunda de textos e frases.

Exercícios

  • Exercício 1: Classifique os determinantes nas frases a seguir: "Aqueles cachorros são maravilhosos, mas não quero nenhum em casa".
  • Exercício 2: Reescreva a frase a seguir trocando os determinantes: "O azul do seu olhar me encanta".
  • Exercício 3: Complete a frase a seguir utilizando o artigo definido ou indefinido de acordo com o sentido desejado: "Vou comprar _____ presentes, mas ainda não decidi quais".
Ver mais
Discipline logo

Português

Regência Verbal - EM13LGG402

Objetivos (5 - 7 minutos)

  1. Compreender a regência verbal como fenômeno linguístico: O professor deve explicar que a regência verbal é a relação de dependência que se estabelece entre os verbos e seus complementos. Os alunos devem ser capazes de entender que essa relação não é aleatória, mas sim regida por regras gramaticais.

  2. Identificar verbos transitivos e intransitivos: O professor deve ensinar os alunos a identificar se um verbo é transitivo (necessita de um complemento) ou intransitivo (não necessita de um complemento). Isso é essencial para entender a regência verbal.

  3. Reconhecer a diferença entre complemento direto e indireto: O professor deve esclarecer a diferença entre complemento direto (recebe a ação do verbo sem a necessidade de preposição) e complemento indireto (recebe a ação do verbo com a necessidade de preposição).

Objetivos secundários:

  • Aplicar o conhecimento adquirido em exercícios práticos: Os alunos devem ser capazes de aplicar o que aprenderam sobre regência verbal na resolução de exercícios práticos.

  • Desenvolver habilidades de pensamento crítico: Ao analisar as relações de regência verbal, os alunos podem desenvolver habilidades de pensamento crítico, como a capacidade de analisar, sintetizar e avaliar informações.

Introdução (10 - 15 minutos)

  1. Revisão de conteúdos anteriores: O professor deve começar a aula relembrando os conceitos de verbo, objeto direto e indireto, e a diferença entre verbos transitivos e intransitivos. Isso é fundamental para que os alunos possam compreender o novo conteúdo sobre regência verbal. O professor pode fazer essa revisão de forma interativa, solicitando que os alunos deem exemplos e expliquem os conceitos.

  2. Situações-problema: O professor deve apresentar duas situações que exigem o uso correto da regência verbal. Por exemplo, pode-se apresentar a seguinte frase: "Maria obedeceu o pai." e perguntar aos alunos se a frase está correta e por quê. Outra situação pode ser: "Ela assistiu o filme." e perguntar se a frase está correta e se não, como ela deve ser corretamente escrita.

  3. Contextualização: O professor deve mostrar aos alunos a importância da regência verbal no dia a dia. Por exemplo, pode-se destacar que o uso correto da regência verbal é essencial para a produção de textos escritos de qualidade, seja na escola, no trabalho ou em outras situações sociais. Além disso, pode-se mencionar que o desvio das regras de regência verbal pode levar a mal-entendidos na comunicação.

  4. Introdução do tópico: Para despertar o interesse dos alunos, o professor pode apresentar algumas curiosidades sobre a regência verbal. Por exemplo, pode-se mencionar que, em algumas línguas, como o latim, a regência verbal é ainda mais complexa do que em português. Outra curiosidade é que, embora a regência verbal seja uma regra gramatical, ela pode variar em diferentes contextos sociais e regionais, o que pode ser um desafio para os falantes não nativos.

  5. Ganhar a atenção dos alunos: Para captar a atenção dos alunos, o professor pode propor um desafio: "Quantos verbos você consegue pensar em 1 minuto? Agora, quantos desses são transitivos e quantos são intransitivos?". Além disso, o professor pode compartilhar uma piada relacionada à regência verbal: "Por que o verbo não queria ser transitivo? Porque ele preferia ser intransitivo!". Essas atividades lúdicas podem ajudar a tornar o conteúdo mais interessante e memorável.

Desenvolvimento (20 - 25 minutos)

  1. Atividade de Caça ao Tesouro (10 - 12 minutos): Nesta atividade, os alunos serão divididos em grupos de 4 a 5 pessoas. Cada grupo receberá uma lista de frases misturadas, algumas com a regência verbal correta e outras com erros. A tarefa do grupo será identificar as frases corretas e os erros de regência verbal.

    • Preparação do Material: O professor deve preparar previamente as listas de frases. Cada lista deve conter no mínimo 10 frases. As frases devem ser variadas em termos de complexidade e devem incluir verbos transitivos e intransitivos. O professor também deve preparar cartões ou etiquetas coloridas para que os alunos possam marcar as frases corretas e as erradas.

    • Execução da Atividade: O professor deve distribuir as listas de frases e as etiquetas coloridas para cada grupo. Os grupos devem trabalhar juntos para identificar as frases corretas e erradas. Eles devem marcar as frases corretas com uma etiqueta de uma cor e as erradas com uma etiqueta de outra cor.

    • Discussão e Correção: Depois que todos os grupos terminarem a atividade, o professor deve pedir que cada grupo compartilhe suas conclusões. O professor deve corrigir as frases erradas e explicar o porquê do erro.

  2. Jogo da Memória (10 - 12 minutos): Nesta atividade, os alunos continuarão trabalhando em grupos. O professor fornecerá a cada grupo um jogo da memória personalizado. As cartas do jogo da memória terão verbos em uma carta e o complemento em outra. O desafio será fazer o maior número possível de pares corretos de verbos e complementos, respeitando a regência verbal.

    • Preparação do Material: O professor deve preparar as cartas do jogo da memória. Cada carta deve ter um verbo ou um complemento. O professor deve garantir que haja um número igual de cartas de verbos e de complementos. As cartas devem ser distribuídas aleatoriamente no tabuleiro do jogo da memória.

    • Execução da Atividade: Cada grupo deve jogar o jogo da memória, tentando fazer o maior número possível de pares corretos. Quando um par correto for feito, o grupo deve explicar a regência verbal usada. Se o par for incorreto, o grupo deve tentar novamente.

    • Discussão e Correção: Após o tempo determinado, o professor deve pedir que cada grupo compartilhe as regras de regência verbal usadas para fazer os pares corretos. O professor deve corrigir qualquer erro e reforçar as regras de regência verbal.

Estas atividades lúdicas e interativas ajudarão os alunos a compreender e aplicar o conceito de regência verbal de maneira prática e divertida. Além disso, o trabalho em grupo promove a colaboração e a discussão entre os alunos, o que pode aprimorar ainda mais a compreensão do conteúdo.

Retorno (8 - 10 minutos)

  1. Discussão em Grupo (3 - 4 minutos): O professor deve solicitar que cada grupo compartilhe suas conclusões e soluções das atividades realizadas. Cada grupo terá até 3 minutos para apresentar. Durante as apresentações, o professor deve incentivar os alunos a explicarem o raciocínio por trás de suas respostas, o que ajudará a verificar se os alunos entenderam corretamente o conceito de regência verbal.

  2. Conexão com a Teoria (2 - 3 minutos): Após as apresentações dos grupos, o professor deve fazer uma síntese das principais ideias apresentadas, reforçando os conceitos teóricos de regência verbal. O professor pode, por exemplo, destacar as regras de regência verbal que foram mais difíceis para os alunos, ou chamar a atenção para exemplos interessantes ou inusitados de regência verbal que foram mencionados pelos grupos.

  3. Esclarecimento de Dúvidas (2 - 3 minutos): O professor deve aproveitar este momento para esclarecer quaisquer dúvidas que tenham surgido durante as apresentações dos grupos. O professor pode, por exemplo, explicar novamente uma regra de regência verbal que tenha gerado confusão, ou fornecer mais exemplos para ilustrar um ponto difícil.

  4. Reflexão Final (1 minuto): O professor deve encerrar a aula pedindo aos alunos que reflitam, por um minuto, em silêncio, sobre as seguintes perguntas:

    1. Qual foi o conceito mais importante aprendido hoje?
    2. Quais questões ainda não foram respondidas?

    Esta etapa final é importante para ajudar os alunos a consolidar o que aprenderam e identificar quaisquer lacunas em seu entendimento. Além disso, as respostas às perguntas de reflexão podem fornecer ao professor um feedback valioso sobre a eficácia da aula e as necessidades de aprendizagem dos alunos.

Conclusão (5 - 7 minutos)

  1. Resumo dos Conteúdos (2 - 3 minutos): O professor deve fazer um breve resumo dos conceitos principais abordados na aula. Isso inclui a definição de regência verbal, a diferença entre verbos transitivos e intransitivos, e a distinção entre complemento direto e indireto. O professor pode utilizar o quadro-negro ou slides para destacar as informações mais importantes.

  2. Conexão da Teoria com a Prática (1 - 2 minutos): O professor deve reforçar como a teoria da regência verbal apresentada na aula foi aplicada nas atividades práticas. Deve-se destacar como os exercícios de caça ao tesouro e jogo da memória permitiram aos alunos a oportunidade de analisar e aplicar as regras de regência verbal de maneira concreta e significativa.

  3. Materiais Complementares (1 - 2 minutos): O professor deve sugerir materiais adicionais para os alunos aprofundarem seu entendimento sobre regência verbal. Isso pode incluir livros de gramática, sites educativos, vídeos explicativos, e exercícios online. O professor pode, por exemplo, recomendar o uso do "Gramática Online" ou do "Portal da Língua Portuguesa", que oferecem uma variedade de recursos interativos e exercícios sobre regência verbal.

  4. Importância do Assunto (1 minuto): Por fim, o professor deve ressaltar a importância da regência verbal no cotidiano. Deve-se enfatizar que o uso correto da regência verbal é essencial para a produção de textos escritos coesos e compreensíveis. Além disso, o professor pode mencionar que a habilidade de reconhecer e aplicar a regência verbal pode melhorar a comunicação oral, ajudando a evitar mal-entendidos e a expressar ideias de maneira mais clara e precisa.

  5. Encerramento (30 segundos): Para encerrar, o professor deve agradecer a participação dos alunos, reforçar a importância do estudo contínuo e desejar a todos uma boa semana de estudos.

Este momento de Conclusão é crucial para consolidar o aprendizado dos alunos, reforçar a relevância do conteúdo estudado, e motivar os alunos a continuarem aprendendo sobre o assunto.

Ver mais
Discipline logo

Português

Adjetivo e Numeral - EM13LGG103

Objetivos (5 - 7 minutos)

  1. Compreensão Profunda do Conceito: Os alunos devem ser capazes de diferenciar os adjetivos dos numerais, compreendendo a sua função e importância na construção de frases e textos. Isso inclui a identificação e uso correto dessas classes gramaticais.

  2. Aplicação Efetiva do Conhecimento: Após a compreensão teórica, os alunos devem ser capazes de aplicar o que aprenderam na prática. Eles devem ser capazes de reconhecer e utilizar adjetivos e numerais em diferentes contextos, enriquecendo assim seu vocabulário e habilidades de escrita.

  3. Integração do Conhecimento Adquirido: Por fim, os alunos devem ser capazes de relacionar o conteúdo aprendido em aula com o mundo real. Eles devem ser capazes de identificar exemplos de adjetivos e numerais em textos, músicas, poesias, etc., e entender como essas palavras contribuem para o significado geral do texto.

Objetivos Secundários:

  • Desenvolvimento de Habilidades de Pensamento Crítico: Ao trabalhar com a classificação de palavras e a construção de frases, os alunos também estão desenvolvendo suas habilidades de pensamento crítico. Eles estão aprendendo a analisar e avaliar a estrutura das frases, o que pode ajudá-los em muitas outras áreas de estudo e da vida.

  • Melhoria da Fluência em Português: Ao expandir seu vocabulário e compreender melhor as regras de formação de frases, os alunos também estarão melhorando sua fluência na língua portuguesa. Isso pode beneficiá-los em todas as áreas de estudo, bem como em suas interações diárias.

Introdução (10 - 15 minutos)

  1. Revisão de Conteúdos Prévios: O professor deve relembrar brevemente os alunos sobre as classes de palavras que já foram estudadas, com foco especial nos substantivos e verbos. Esta revisão é crucial para que os alunos possam entender a diferença entre adjetivos e numerais, os quais serão o foco da aula. O professor pode utilizar exemplos e exercícios rápidos para revisar os conceitos.

  2. Situações Problema: O professor deve apresentar duas situações-problema para despertar o interesse dos alunos e contextualizar o assunto. Por exemplo, pode perguntar: "Como descreveríamos a cor de um objeto sem o uso de adjetivos?" ou "Como contaríamos objetos sem o uso de numerais?". Estas questões devem ser pensadas de forma a desafiar os alunos a pensar sobre a importância e a função dessas classes de palavras.

  3. Contextualização: O professor deve então apresentar a importância dos adjetivos e numerais no uso cotidiano da língua portuguesa. Pode mencionar que os adjetivos são essenciais para descrever pessoas, lugares e coisas, e que os numerais são usados para contar e ordenar objetos. Além disso, pode mostrar exemplos de como essas classes de palavras são usadas em diferentes contextos, como na literatura, na publicidade e na mídia.

  4. Introdução do Tópico: Para introduzir o tópico de forma atraente, o professor pode apresentar um jogo de palavras envolvendo adjetivos e numerais. Por exemplo, pode dizer: "Vamos jogar um jogo de palavras onde vocês terão que descrever um objeto usando apenas um adjetivo e um numeral. Por exemplo, como vocês descreveriam a nossa sala de aula se pudesse usar apenas um adjetivo e o numeral 3?". Este jogo não só irá captar a atenção dos alunos, mas também irá ajudá-los a entender a importância e a função dessas classes de palavras.

Desenvolvimento (20 - 25 minutos)

  1. Atividade 1 - "O Adjetivo e o Numeral na Música" (10 - 12 minutos):

    • Descrição: O professor deve selecionar previamente três músicas populares que contenham uma variedade de adjetivos e numerais. As músicas devem ser de gêneros diferentes para atender aos diferentes interesses dos alunos.
    • Passo a passo:
      1. O professor deve dividir a classe em grupos de cinco e distribuir uma letra de música para cada grupo.
      2. Os alunos, em seus respectivos grupos, devem identificar e sublinhar todos os adjetivos e numerais presentes na letra da música.
      3. Em seguida, os grupos devem discutir o significado das palavras sublinhadas e como elas contribuem para o sentido geral da música. Eles também devem discutir se as palavras poderiam ser substituídas por outros adjetivos ou numerais sem alterar o significado da música.
      4. Finalmente, cada grupo deve apresentar suas descobertas para a classe, explicando o que aprenderam sobre o uso de adjetivos e numerais na música.
  2. Atividade 2 - "Caça ao Adjetivo e ao Numeral" (10 - 12 minutos):

    • Descrição: O professor deve preparar previamente uma série de cartões, cada um contendo uma frase. As frases devem conter um adjetivo ou numeral que os alunos deverão identificar.
    • Passo a passo:
      1. O professor deve dividir a classe em grupos de cinco e distribuir um conjunto de cartões para cada grupo.
      2. Os alunos, em seus respectivos grupos, devem ler as frases e identificar o adjetivo ou numeral em cada uma delas.
      3. Após a identificação, os alunos devem discutir dentro do grupo sobre o que a frase significaria se o adjetivo ou numeral fosse removido.
      4. Finalmente, cada grupo deve apresentar uma de suas frases para a classe, explicando o adjetivo ou numeral que identificaram e o impacto que sua remoção teria no significado da frase.
  3. Atividade 3 - "Construindo Frases com Adjetivos e Numerais" (10 - 12 minutos):

    • Descrição: O professor deve preparar previamente uma lista de substantivos, adjetivos e numerais. Os alunos devem usar essas palavras para construir suas próprias frases.
    • Passo a passo:
      1. O professor deve dividir a classe em grupos de cinco e distribuir a lista de palavras para cada grupo.
      2. Os alunos, em seus respectivos grupos, devem escolher um substantivo da lista e, em seguida, usar um adjetivo e um numeral para criar uma frase.
      3. Após a construção da frase, os alunos devem discutir dentro do grupo sobre o que a frase significa e como o adjetivo e numeral contribuem para o seu significado.
      4. Finalmente, cada grupo deve apresentar uma de suas frases para a classe, explicando o substantivo, adjetivo e numeral que escolheram e o significado da frase que construíram.

Estas atividades lúdicas e contextualizadas permitirão que os alunos apliquem o que aprenderam de uma forma divertida e significativa. Além disso, trabalhando em grupos, os alunos também estarão desenvolvendo suas habilidades de colaboração e comunicação.

Retorno (8 - 10 minutos)

  1. Discussão em Grupo (3 - 5 minutos): O professor deve reunir todos os alunos e iniciar uma discussão em grupo. Cada grupo deve compartilhar suas soluções, conclusões e descobertas das atividades realizadas. Durante esta discussão, o professor deve guiar a conversa, garantindo que todos os grupos contribuam e que as respostas sejam corretas e bem explicadas. O objetivo desta etapa é consolidar o aprendizado, permitindo que os alunos aprendam uns com os outros e aprofundem seu entendimento sobre o uso de adjetivos e numerais na língua portuguesa.

  2. Conexão com a Teoria (2 - 3 minutos): Após a discussão em grupo, o professor deve fazer a conexão entre as atividades realizadas e a teoria apresentada no início da aula. O professor deve destacar como as atividades ajudaram a ilustrar a função e o uso de adjetivos e numerais, e como isso se aplica na construção de frases e textos. Além disso, o professor pode reforçar os conceitos mais importantes, esclarecer dúvidas remanescentes e corrigir quaisquer equívocos.

  3. Reflexão Individual (2 - 3 minutos): Por fim, o professor deve propor que os alunos reflitam individualmente sobre o que aprenderam na aula. Para facilitar essa reflexão, o professor pode fazer as seguintes perguntas:

    1. Qual foi o conceito mais importante que você aprendeu hoje?
    2. Quais questões ainda não foram respondidas?
    3. Como você pode aplicar o que aprendeu na aula em situações reais?
    4. Quais dificuldades você encontrou ao realizar as atividades em grupo e como pode superá-las da próxima vez?

O professor deve dar um minuto para os alunos pensarem sobre essas perguntas e, em seguida, alguns alunos podem ser convidados a compartilhar suas respostas com a turma. Esta etapa de reflexão é crucial para que os alunos internalizem o que aprenderam, identifiquem quaisquer lacunas em seu entendimento e comecem a pensar em como podem aplicar o que aprenderam em suas vidas diárias.

  1. Encerramento (1 minuto): Para encerrar a aula, o professor deve resumir os principais pontos discutidos, reforçar a importância dos adjetivos e numerais na língua portuguesa e agradecer a participação e o esforço de todos. O professor também deve informar aos alunos sobre o conteúdo da próxima aula e quaisquer tarefas de casa ou leituras que possam ser necessárias.

Conclusão (5 - 7 minutos)

  1. Resumo dos Conteúdos (2 - 3 minutos): O professor deve retomar os conceitos principais abordados durante a aula, reforçando a definição de adjetivos e numerais, suas funções na língua portuguesa e o seu uso na construção de frases e textos. Esta recapitulação ajuda a consolidar o aprendizado dos alunos e a relembrar os tópicos mais importantes que foram discutidos.

  2. Conexão entre Teoria, Prática e Aplicações (1 - 2 minutos): O professor deve destacar como a aula conectou a teoria, a prática e as aplicações. Ele deve salientar como as atividades práticas permitiram aos alunos aplicar a teoria de uma forma concreta e contextualizada. Além disso, o professor deve mencionar exemplos de como o conhecimento adquirido é aplicado na vida cotidiana, como na leitura, na escrita e na comunicação oral.

  3. Sugestão de Materiais Extras (1 - 2 minutos): O professor deve sugerir materiais de estudo adicionais para os alunos que desejam aprofundar seus conhecimentos sobre adjetivos e numerais. Estes materiais podem incluir livros didáticos, sites educacionais, vídeos explicativos, jogos de palavras e exercícios de fixação. O professor deve também encorajar os alunos a praticar o que aprenderam fora da sala de aula, seja lendo, escrevendo ou ouvindo músicas e poesias.

  4. Importância dos Adjetivos e Numerais (1 minuto): Por fim, o professor deve reforçar a importância dos adjetivos e numerais no dia a dia, não apenas na língua portuguesa, mas também em outras línguas. Deve ressaltar como essas classes de palavras enriquecem a nossa comunicação, permitindo-nos descrever o mundo ao nosso redor e expressar ideias de maneira mais precisa e eficaz. O professor deve encorajar os alunos a continuarem a explorar e aprimorar suas habilidades nesses aspectos da linguagem, pois eles serão úteis em muitos aspectos de suas vidas.

Ver mais
Economize seu tempo usando a Teachy!
Na Teachy você tem acesso a:
Aulas e materiais prontos
Correções automáticas
Projetos e provas
Feedback individualizado com dashboard
Mascote Teachy
BR flagUS flag
Termos de usoAviso de PrivacidadeAviso de Cookies

2023 - Todos os direitos reservados

Siga a Teachy
nas redes sociais
Instagram LogoLinkedIn LogoTwitter Logo