Professor(a),
acesse esse e milhares de outros planos de aula!

Na Teachy você acessa milhares de questões, cria listas, planos de aula e provas.

Cadastro Gratuito

Plano de aula de Mundo Globalizado: Revisão

Introdução: O Desbravamento do Mundo Globalizado

Relevância do Tema

A ideia de "mundo globalizado" ultrapassa o conceito de simples integração global. Ela engloba ações, processos e fenômenos que moldam nosso cotidiano, afetando a economia, a política, a cultura e a nossa noção de tempo e espaço. Compreender esses aspectos é fundamental para entender as dinâmicas do mundo atual.

Contextualização

O tema "Mundo Globalizado" se inseriu primeiramente em nossa disciplina de Geografia Humana, no estudo da formação e transformação dos espaços geográficos. Situado no último ano do Ensino Médio, a matéria adquiriu uma nova dimensão, expandindo-se de uma análise mais local para uma perspectiva global. Ao longo do currículo, vocês foram conduzidos a uma compreensão progressiva desse fenômeno, passando de entendimentos mais superficiais para uma abordagem mais aprofundada. No 2º ano, exploramos aspectos da globalização econômica, política e cultural. Este ano, nossa atenção se volta para a década de 1990, momento de grande impulso à globalização e de intensificação das suas contradições, temas que serão abordados nesta Revisão.

Desenvolvimento Teórico: A Globalização em Foco

Componentes

  • Globalização Econômica: Aprofundamento das relações e interdependências comerciais, financeiras e produtivas entre as nações. Privatizações, abertura de mercados, neoliberalismo e o surgimento de blocos econômicos são marcas desse processo.

  • Globalização Cultural: Homogeneização e heterogeneização de elementos culturais, como línguas, modos de vida, hábitos alimentares, entre outros. O fenômeno da "mcdonaldização" do mundo é um exemplo.

  • Globalização Política: Reconfiguração das relações entre os Estado-Nações e os organismos supranacionais. A formação de organizações como a OMC, ONU e a OTAN marca essa transformação.

  • Globalização Tecnológica: Avanços nas tecnologias de informação e comunicação (TICs) que permitiram a integração global em diferentes esferas da vida humana, desde a economia até ao cotidiano. A explosão da internet, por exemplo, é um reflexo desse componente.

  • Globalização Ambiental: Aprofundamento das interações humano-meio ambiente em escala global. Debates sobre mudanças climáticas, sustentabilidade, desmatamento e poluição são focos deste componente.

Termos-Chave

  • Neoliberalismo: Doutrina econômica que preconiza a redução do Estado na economia e a ampliação da participação do setor privado, visando ao livre mercado como regulador fundamental.

  • Blocos Econômicos: Acordos de cooperação econômica entre nações, com o objetivo de estimular o comércio entre elas, reduzindo barreiras alfandegárias.

  • TICs (Tecnologias de Informação e Comunicação): Conjunto de recursos, equipamentos e serviços que permitem a manipulação, o processamento, a transmissão e o armazenamento de informações.

  • Sustentabilidade: Capacidade de satisfazer as necessidades da presente geração, sem comprometer a capacidade das futuras gerações satisfazerem as suas próprias necessidades.

Exemplos e Casos

  • Caso NAFTA: Tratado de Livre Comércio da América do Norte, que uniu EUA, Canadá e México em 1994, é um exemplo de bloco econômico, bem como da expansão da globalização econômica.

  • Caso Disneyficação: Fenômeno que caracteriza a transformação de espaços urbanos em "lugares de consumo", similar ao modelo adotado pelos parques temáticos da Disney.

  • Caso Protesto Global do Milênio (1999): Acontecimento que reuniu ativistas antiglobalização em Seattle para protestar contra a OMC, evidenciando as críticas e contradições acerca da globalização.

  • Caso Greenpeace e Petróleo no Ártico: Trata das ações diretas do Greenpeace contra a exploração de petróleo no Ártico, destacando a importância das discussões sobre sustentabilidade no contexto da globalização ambiental.

Resumo Detalhado: Pontos Relevantes

Pontos Relevantes

  • Globalização: Compreensão aprofundada do conceito e seus componentes (econômico, cultural, político, tecnológico e ambiental) e seus efeitos na contemporaneidade. O entendimento sobre a globalização proporciona uma visão holística e integrada do mundo atual.

  • Globalização Econômica: Estudo sobre a intensificação das relações comerciais entre países, a formação de blocos econômicos, o neoliberalismo e seus impactos. Noções sobre o NAFTA e a constituição de blocos econômicos são fundamentais, assim como a compreensão do neoliberalismo como uma doutrina econômica da globalização.

  • Globalização Cultural: Análise sobre as dinâmicas de homogeneização e heterogeneização cultural, tendo como exemplo a "mcdonaldização". Compreensão de como os aspectos culturais são reconfigurados pela globalização.

  • Globalização Política: Compreensão da reorganização das relações políticas entre os Estados-Nações e as organizações supranacionais. O estudo sobre a OMC, ONU e OTAN fornece uma visão mais concreta deste componente.

  • Globalização Tecnológica: Entendimento de como as TICs são fundamentais para a globalização em diferentes esferas. Compreensão de como a internet, por exemplo, revolucionou a forma de interação e apropriação do espaço.

  • Globalização Ambiental: Exploração das relações entre o ser humano e o meio ambiente no contexto da globalização. Compreensão dos debates sobre sustentabilidade e seus desdobramentos.

Conclusões

  • A globalização é um fenômeno complexo, multifacetado e em constante transformação. Ela molda não apenas a economia, mas também a cultura, a política, a tecnologia e o meio ambiente.

  • Os componentes da globalização são interdependentes e se inter-relacionam, influenciando e sendo influenciados mutuamente.

  • A globalização, embora apresente aspectos positivos, também gera desafios e contradições, como a desigualdade social e o agravamento dos problemas ambientais.

Exercícios Sugeridos

  1. Explique a relação entre neoliberalismo, globalização econômica e a formação de blocos econômicos. Dê exemplos para ilustrar sua resposta.
  2. Analise as implicações da globalização na cultura atual. Apresente exemplos concretos que demonstrem a homogeneização e a heterogeneização cultural neste contexto.
  3. Reflita sobre o papel das TICs na dinâmica da globalização. Quais os principais avanços e desafios trazidos por elas?

Deseja ter acesso a todos os planos de aula? Faça cadastro na Teachy!

Gostou do Plano de Aula? Veja outros relacionados:

Discipline logo

Geografia

Nova Ordem Mundial - EM13CHS101', 'EM13CHS106

Objetivos (5 - 7 minutos)

  1. Compreender o conceito de Nova Ordem Mundial: Os alunos devem ser capazes de definir o que é a Nova Ordem Mundial, identificando suas características principais. Isso inclui entender a transição do sistema bipolar para o unipolar, a influência das potências mundiais e a reorganização das relações internacionais.

  2. Analisar as implicações da Nova Ordem Mundial: Os alunos devem ser capazes de discutir como a Nova Ordem Mundial afeta as economias, a política, a cultura e a sociedade em geral. Eles devem ser capazes de identificar exemplos concretos de como essa nova ordem se manifesta no mundo atual.

  3. Refletir sobre o papel do Brasil na Nova Ordem Mundial: Os alunos devem ser capazes de avaliar o posicionamento do Brasil na Nova Ordem Mundial, identificando os desafios e as oportunidades que surgem a partir dessa reorganização geopolítica. Eles devem ser capazes de articular argumentos baseados em evidências para sustentar suas reflexões.

Objetivos secundários:

  • Desenvolver o pensamento crítico: Através da análise e discussão do tema, os alunos devem ser capazes de aprimorar suas habilidades de pensamento crítico, avaliando diferentes perspectivas e formando suas próprias opiniões informadas.

  • Estimular a participação ativa: O plano de aula deve incluir atividades que incentivem a participação ativa dos alunos, promovendo o diálogo e a troca de ideias.

Introdução (10 - 12 minutos)

  1. Revisão de conteúdos anteriores: O professor deve iniciar a aula revisando com os alunos os conceitos de bipolaridade global, a Guerra Fria e o papel das potências mundiais nesse contexto. Esta revisão servirá como base para a Introdução do novo tópico, a Nova Ordem Mundial. (3 - 4 minutos)

  2. Situações problema: O professor deve propor duas situações-problema para instigar a curiosidade dos alunos e prepará-los para o conteúdo que será abordado. As situações-problema podem ser:

    • "Como a passagem de um mundo bipolar para um mundo unipolar afetou as relações internacionais e a dinâmica global?"
    • "Quais são as implicações da Nova Ordem Mundial para um país como o Brasil, que historicamente esteve entre as grandes potências emergentes?" (3 - 4 minutos)
  3. Contextualização do tema: O professor deve explicar a importância do tema, relacionando-o com eventos atuais e recentes. Por exemplo, a crescente influência da China e a retração dos Estados Unidos no cenário mundial, o impacto da globalização e das novas tecnologias na economia e na sociedade, entre outros. (2 - 3 minutos)

  4. Introdução ao tópico: O professor deve apresentar o tópico da aula, a Nova Ordem Mundial, de maneira intrigante e interessante. Ele pode fazer isso através de curiosidades, como:

    • "Você sabia que a expressão 'Nova Ordem Mundial' foi usada pela primeira vez pelo presidente George H. W. Bush em 1990, logo após o fim da Guerra Fria?"
    • "Você sabia que, para alguns especialistas, a Nova Ordem Mundial pode ser vista como uma 'desordem' devido à instabilidade e conflitos que vem gerando?" (2 - 3 minutos)

Desenvolvimento (20 - 25 minutos)

  1. Atividade "Game of Powers" (10 - 12 minutos)

    • Preparação: Antes da aula, o professor deve preparar cartões com o nome de diferentes países, incluindo o Brasil, e características econômicas, políticas e culturais. Cada cartão deve ter uma ponderação (ex: 10 para economia, 5 para política, 3 para cultura). O professor também deve ter preparado um tabuleiro com diferentes regiões do mundo.
    • Descrição: Os alunos serão divididos em grupos de cinco. Cada grupo receberá um conjunto de cartões. O objetivo do jogo é que os grupos "conquistem" as regiões do mundo, colocando seus cartões de países nelas. Isso é feito através de um sorteio de cartões (um por vez) e uma comparação das características do cartão com a região do mundo. O grupo que tiver o maior total de ponderações na característica correspondente "conquistará" a região. O jogo continua até que todas as regiões do mundo sejam conquistadas ou até que o tempo acabe.
    • Objetivo pedagógico: Esta atividade tem como objetivo demonstrar a dinâmica do poder na Nova Ordem Mundial. Os alunos terão a oportunidade de discutir e refletir sobre o papel das diferentes características (economia, política, cultura) na distribuição do poder global.
  2. Atividade "O Brasil na Nova Ordem Mundial" (10 - 12 minutos)

    • Preparação: Antes da aula, o professor deve preparar uma lista de desafios e oportunidades que o Brasil enfrenta na Nova Ordem Mundial. Estes podem incluir questões como a ascensão da China, a influência dos Estados Unidos, a globalização, entre outros.
    • Descrição: Os alunos, ainda em seus grupos, serão convidados a discutir e listar as principais desafios e oportunidades que o Brasil enfrenta na Nova Ordem Mundial. Eles devem usar as informações e reflexões adquiridas durante a aula, bem como seu conhecimento prévio. Ao final da atividade, cada grupo deve apresentar suas listas para a turma.
    • Objetivo pedagógico: Esta atividade tem como objetivo estimular o pensamento crítico e a reflexão sobre o papel do Brasil na Nova Ordem Mundial. Os alunos terão a oportunidade de articular argumentos e apresentar suas perspectivas de uma maneira divertida e interativa.
  3. Discussão em grupo (5 - 6 minutos)

    • Preparação: Antes da aula, o professor deve preparar uma lista de perguntas para a discussão em grupo. Estas perguntas devem ser baseadas nas atividades anteriores e devem estimular a reflexão e a discussão.
    • Descrição: No final das atividades, os alunos devem se reunir em um grande grupo para uma discussão final. O professor deve moderar a discussão, garantindo a participação de todos os alunos e mantendo o foco no tema. As perguntas podem incluir: "Quais foram as principais lições que vocês aprenderam hoje?", "Quais questões ainda não foram respondidas?" e "Como vocês se sentem sobre o papel do Brasil na Nova Ordem Mundial?".
    • Objetivo pedagógico: Esta discussão final tem como objetivo consolidar o aprendizado, esclarecer dúvidas e permitir que os alunos expressem suas opiniões e sentimentos sobre o tema.

Retorno (8 - 10 minutos)

  1. Discussão em grupo (3 - 4 minutos)

    • O professor deve promover uma discussão em grupo com todos os alunos. Cada grupo terá até 3 minutos para compartilhar as soluções ou conclusões que chegaram durante as atividades. Durante essa discussão, o professor deve incentivar a participação de todos os alunos, fazendo perguntas para promover o pensamento crítico e a reflexão sobre o tema.
  2. Conexão com a teoria (2 - 3 minutos)

    • Após as discussões em grupo, o professor deve fazer uma breve revisão das atividades, conectando-as com a teoria apresentada no início da aula. Isso ajudará os alunos a entenderem como a prática se relaciona com o conteúdo teórico e a aplicabilidade do tema no mundo real.
  3. Reflexão individual (2 - 3 minutos)

    • O professor deve propor que os alunos reflitam individualmente sobre o que aprenderam na aula. Para guiá-los nessa reflexão, o professor pode fazer perguntas como: "Qual foi o conceito mais importante que você aprendeu hoje?", "Quais questões ainda não foram respondidas?" e "Como você se sente sobre o papel do Brasil na Nova Ordem Mundial?". Os alunos devem anotar suas respostas em um caderno ou folha de papel.
  4. Compartilhamento das reflexões (1 minuto)

    • O professor deve então convidar alguns alunos a compartilharem suas reflexões com a turma. Isso pode ser feito de forma voluntária ou o professor pode escolher alguns alunos para compartilhar. Esta etapa é importante para estimular a escuta ativa e a empatia entre os alunos, além de proporcionar uma oportunidade para que o professor avalie a compreensão dos alunos sobre o tema.
  5. Encerramento da aula (1 minuto)

    • O professor deve encerrar a aula ressaltando os principais pontos discutidos e aprendidos. Ele pode também mencionar as possíveis conexões do tema com outros conteúdos da disciplina e reforçar a importância do assunto para o entendimento do mundo contemporâneo.

Conclusão (5 - 7 minutos)

  1. Resumo e Recapitulação (2 - 3 minutos)

    • O professor deve começar a etapa de Conclusão relembrando os principais pontos discutidos durante a aula. Ele pode fazer um breve resumo das definições, características e implicações da Nova Ordem Mundial, reforçando a transição do sistema bipolar para o unipolar e a influência das potências mundiais.
    • Ele também deve recapitular as principais conclusões das atividades práticas, destacando as reflexões sobre o papel do Brasil e as dinâmicas de poder na Nova Ordem Mundial.
  2. Conexão entre teoria e prática (1 - 2 minutos)

    • O professor deve então explicar como a aula conectou a teoria e a prática. Ele pode destacar como as atividades, como o jogo "Game of Powers" e a discussão sobre o papel do Brasil, permitiram aos alunos vivenciar e aplicar os conceitos teóricos de forma lúdica e interativa.
  3. Materiais extras (1 minuto)

    • O professor deve sugerir materiais extras para os alunos que desejam aprofundar seus conhecimentos sobre o tema. Estes materiais podem incluir livros, artigos, documentários, sites e podcasts. O professor pode, por exemplo, recomendar o livro "A Nova Ordem Mundial", de Tariq Ali, ou o documentário "The New World Order", disponível na plataforma de streaming Netflix.
  4. Relevância do tema (1 - 2 minutos)

    • Para encerrar, o professor deve ressaltar a importância do tema para a vida cotidiana dos alunos. Ele pode explicar como a Nova Ordem Mundial afeta diversos aspectos de suas vidas, como a economia, a política, a cultura e as relações internacionais.
    • O professor deve também reforçar como o entendimento desse tema pode ajudar os alunos a se tornarem cidadãos mais conscientes e críticos, capazes de compreender e analisar os desafios e oportunidades que o Brasil e o mundo enfrentam no atual cenário global.
Ver mais
Discipline logo

Geografia

Elementos do Clima: Revisão - EM13CHS106', 'EM13CHS306

Objetivos (5 - 7 minutos)

  1. Compreensão dos Elementos do Clima: Os alunos devem ser capazes de identificar e compreender os diferentes elementos que compõem o clima, como a temperatura, a pressão atmosférica, a umidade, a precipitação e a altitude. Eles devem entender como esses elementos interagem para determinar o clima de uma região.

  2. Análise das Zonas Climáticas: Os alunos devem ser capazes de analisar as zonas climáticas e identificar as características que as distinguem, como a temperatura média, a quantidade de chuva e a vegetação predominante. Eles devem ser capazes de relacionar essas características com os diferentes elementos do clima.

  3. Aplicação do Conhecimento: Por fim, os alunos devem ser capazes de aplicar o que aprenderam sobre os elementos do clima e as zonas climáticas para prever o clima em diferentes regiões. Eles devem ser capazes de usar mapas climáticos e dados meteorológicos para fazer previsões informadas.

    Objetivos secundários:

    • Desenvolvimento do Pensamento Crítico: Ao analisar e prever o clima, os alunos serão incentivados a desenvolver habilidades de pensamento crítico, como a capacidade de analisar informações e fazer conexões.

    • Melhoria da Habilidade de Pesquisa: Os alunos serão incentivados a usar fontes de pesquisa confiáveis para obter informações sobre os elementos do clima e as zonas climáticas.

Introdução (10 - 15 minutos)

  1. Revisão de Conteúdos Anteriores: O professor deve começar a aula relembrando os conceitos de clima e tempo, que foram abordados em aulas anteriores. Os alunos serão questionados sobre esses conceitos, a fim de verificar a retenção do conhecimento. (3 - 5 minutos)

  2. Situação-Problema 1: O Impacto do Clima na Agricultura: O professor irá propor a seguinte situação: "Imagine que você é um agricultor e precisa decidir que tipo de cultivo plantar em sua fazenda. Como você poderia usar o conhecimento sobre os elementos do clima e as zonas climáticas para tomar essa decisão?" Os alunos serão incentivados a pensar sobre como a temperatura, a umidade e a precipitação afetam a agricultura e como as diferentes zonas climáticas apresentam diferentes desafios e oportunidades para a agricultura. (3 - 5 minutos)

  3. Situação-Problema 2: Previsão do Tempo: O professor irá propor outra situação: "Imagine que você é um meteorologista e precisa prever o tempo para a próxima semana. Como você poderia usar o conhecimento sobre os elementos do clima e as zonas climáticas para fazer essa previsão?" Os alunos serão incentivados a pensar sobre como a interação dos diferentes elementos do clima determina o tempo e como as características das zonas climáticas podem ajudar a fazer previsões. (3 - 5 minutos)

  4. Contextualização: O professor deve enfatizar a importância do estudo dos elementos do clima e das zonas climáticas, destacando como esses conceitos são relevantes para a compreensão de fenômenos naturais, como mudanças climáticas, desastres naturais e padrões de migração animal. Além disso, o professor pode mencionar como esses conceitos são aplicados em diversas áreas, como agricultura, turismo, planejamento urbano e conservação ambiental. (2 - 3 minutos)

  5. Ganho de Atenção: Para despertar o interesse dos alunos, o professor pode compartilhar curiosidades sobre o clima, como a existência de uma cidade na Sibéria, Oymyakon, que é considerada o lugar habitado mais frio da Terra, com temperaturas que podem chegar a -50°C, ou o fato de que a cidade de Iquitos, no Peru, é a cidade mais chuvosa do mundo, com uma média anual de 2.763 mm de chuva. (2 - 3 minutos)

Desenvolvimento (20 - 25 minutos)

  1. Atividade "Mudando o Clima" - Criação de um Ecossistema em uma Garrafa (10 - 15 minutos)

    • Descrição: O professor dividirá a turma em grupos de até cinco alunos e fornecerá a cada grupo uma garrafa de plástico transparente, solo, sementes de plantas e água. Cada grupo será desafiado a criar um ecossistema em sua garrafa, controlando os elementos do clima (temperatura, umidade, luz solar) para favorecer o crescimento de suas plantas.

    • Passo a passo:

      1. Cada grupo encherá sua garrafa com uma camada de solo.
      2. Em seguida, eles plantarão suas sementes e as regarão.
      3. Depois, eles selarão a garrafa e a colocarão em um local apropriado na sala de aula.
      4. A cada dia, os grupos monitorarão a temperatura da garrafa (usando um termômetro), a umidade (observando se há condensação dentro da garrafa) e a luz solar (observando se as plantas estão recebendo luz suficiente).
      5. Com base em suas observações, os grupos farão ajustes, como adicionar mais água se estiver muito seco, mover a garrafa para um local mais ensolarado se estiver muito escuro, etc.
    • Objetivo: Com essa atividade prática, os alunos poderão observar na prática como os diferentes elementos do clima interagem para criar um ambiente propício ao crescimento das plantas. Eles também poderão entender como pequenas mudanças nos elementos do clima podem ter um grande impacto no ecossistema.

  2. Atividade "Climas do Mundo" - Criação de um Mapa de Zonas Climáticas (10 - 15 minutos)

    • Descrição: Ainda em grupos, os alunos receberão um grande pedaço de papel, marcadores coloridos e uma lista de características das diferentes zonas climáticas (temperatura média, quantidade de chuva, tipos de vegetação, etc.). Eles serão desafiados a criar um mapa de zonas climáticas, usando as cores dos marcadores para representar as diferentes características.

    • Passo a passo:

      1. Cada grupo pesquisará as características das zonas climáticas atribuídas a eles.
      2. Em seguida, eles usarão os marcadores para desenhar as diferentes zonas climáticas no papel, colorindo cada uma de acordo com as características correspondentes.
      3. Depois que todos os grupos terminarem, o professor orientará uma discussão sobre os diferentes mapas, destacando as semelhanças e diferenças e como os diferentes elementos do clima interagem para criar as zonas climáticas.
    • Objetivo: Com essa atividade, os alunos poderão visualizar as zonas climáticas e suas características de uma maneira lúdica e interativa. Eles também poderão comparar e contrastar os diferentes mapas e entender como os elementos do clima contribuem para a formação das zonas climáticas.

  3. Atividade "Meteorologistas por Um Dia" - Previsão do Tempo (5 - 10 minutos)

    • Descrição: O professor fornecerá aos grupos dados meteorológicos de uma região (temperatura, umidade, pressão atmosférica, etc.) para a próxima semana. Os alunos serão desafiados a usar o que aprenderam sobre os elementos do clima e as zonas climáticas para prever o tempo para essa semana.

    • Passo a passo:

      1. Cada grupo analisará os dados meteorológicos, identificando os padrões e as tendências.
      2. Em seguida, eles farão suas previsões, explicando o raciocínio por trás delas.
      3. Depois que todos os grupos terminarem, o professor orientará uma discussão sobre as previsões, destacando os diferentes métodos usados e a importância dos elementos do clima e das zonas climáticas na previsão do tempo.
    • Objetivo: Com essa atividade, os alunos poderão aplicar o que aprenderam de uma maneira prática e relevante. Eles também poderão desenvolver suas habilidades de pensamento crítico e sua capacidade de analisar informações e fazer conexões.

Retorno (8 - 10 minutos)

  1. Discussão em Grupo (3 - 5 minutos)

    • O professor deve solicitar que cada grupo compartilhe suas descobertas ou conclusões das atividades realizadas. Cada grupo terá até 3 minutos para apresentar.
    • Durante as apresentações, o professor deve observar as conexões que os alunos estão fazendo entre a teoria (elementos do clima e zonas climáticas) e a prática (atividades realizadas).
    • O professor deve encorajar os alunos a fazer perguntas e comentários sobre as apresentações dos outros grupos, promovendo um ambiente de discussão e colaboração.
  2. Verificação da Aprendizagem (2 - 3 minutos)

    • Após todas as apresentações, o professor deve revisitar os Objetivos de aprendizagem da aula e perguntar aos alunos se eles foram capazes de alcançá-los.
    • O professor deve fazer perguntas diretas aos alunos para verificar a compreensão deles sobre os elementos do clima, as zonas climáticas e a previsão do tempo.
    • O professor deve também pedir aos alunos que reflitam sobre as atividades realizadas e identifiquem os conceitos mais importantes que aprenderam. Isso pode ser feito através de perguntas como: "Qual foi o conceito mais importante que você aprendeu hoje?" ou "Quais questões ainda não foram respondidas?".
  3. Feedback do Professor (2 - 3 minutos)

    • Finalmente, o professor deve fornecer feedback aos alunos sobre seu desempenho durante a aula. Isso pode incluir comentários sobre a participação, o trabalho em equipe, a compreensão dos conceitos e a habilidade de aplicar o conhecimento.
    • O professor deve também destacar os pontos fortes dos alunos e áreas que podem precisar de melhoria, incentivando-os a continuar se esforçando e aprendendo.
    • O professor deve terminar a aula reforçando a importância dos elementos do clima e das zonas climáticas em nossas vidas diárias e em várias áreas de estudo e trabalho.

Este Retorno é vital para consolidar o aprendizado, corrigir possíveis mal-entendidos e preparar os alunos para futuras aulas ou atividades. Além disso, o feedback do professor ajudará os alunos a entender suas forças e áreas de melhoria, incentivando-os a continuar a aprender e crescer.

Conclusão (5 - 7 minutos)

  1. Resumo dos Conteúdos (2 - 3 minutos)

    • O professor deve começar a Conclusão fazendo um resumo dos principais pontos discutidos durante a aula. Isso inclui uma recapitulação dos elementos do clima, das zonas climáticas e dos métodos de previsão do tempo.
    • O professor pode relembrar as atividades práticas realizadas e como elas ilustraram e reforçaram os conceitos teóricos.
  2. Conexão entre Teoria, Prática e Aplicações (1 - 2 minutos)

    • Em seguida, o professor deve enfatizar como a aula conectou a teoria (os elementos do clima e as zonas climáticas) com a prática (as atividades de criação de ecossistema e previsão do tempo) e as aplicações (a compreensão do clima para a agricultura e a meteorologia).
    • O professor pode destacar como a compreensão dos elementos do clima e das zonas climáticas é relevante não apenas para a disciplina de Geografia, mas também para várias outras áreas de estudo e trabalho.
  3. Materiais Complementares (1 - 2 minutos)

    • O professor deve sugerir materiais complementares para os alunos que desejam aprofundar seu entendimento sobre os elementos do clima e as zonas climáticas. Isso pode incluir livros, documentários, sites de institutos meteorológicos, entre outros.
    • O professor pode também propor atividades extras, como a observação do clima local durante uma semana, a comparação dos dados observados com os mapas climáticos, a pesquisa sobre como o clima afeta a agricultura ou a seleção de uma cidade no mundo e a análise de seu clima e zonas climáticas.
  4. Importância do Assunto (1 minuto)

    • Por fim, o professor deve ressaltar a importância do assunto abordado, explicando como a compreensão dos elementos do clima e das zonas climáticas é crucial para a nossa vida diária, seja para decidir o que plantar em nossa horta, para escolhermos nossas roupas de acordo com o clima, ou para entendermos fenômenos globais como as mudanças climáticas.
    • O professor pode também mencionar como esses conceitos são aplicados em diversas áreas de trabalho, como agricultura, turismo, planejamento urbano, e como a habilidade de prever o tempo pode ser útil em várias situações do dia a dia.
Ver mais
Discipline logo

Geografia

Brasil e Mundo: Xenofobia e os Refugiados: Revisão - EM13CHS503', 'EM13CHS204', 'EM13CHS102

Objetivos (5 - 7 minutos)

  1. Compreensão do Conceito de Xenofobia: Os alunos devem ser capazes de definir e entender o conceito de xenofobia, identificando suas principais características e consequências.

  2. Identificação de Casos de Xenofobia no Mundo: Os alunos devem ser capazes de identificar e discutir casos reais de xenofobia ao redor do mundo, aplicando o conhecimento adquirido sobre o conceito.

  3. Compreensão do Fluxo de Refugiados Mundial: Os alunos devem ser capazes de entender o fluxo de refugiados a nível global, compreendendo as principais causas e as consequências deste fenômeno.

  4. Análise do Contexto Brasileiro em Relação à Xenofobia e os Refugiados: Os alunos devem ser capazes de analisar o contexto brasileiro em relação à xenofobia e aos refugiados, relacionando-o com os casos internacionais estudados e com a geopolítica mundial.

Objetivos Secundários:

  1. Desenvolvimento do Pensamento Crítico: Ao analisar os casos de xenofobia e o fluxo de refugiados, os alunos também devem aprimorar suas habilidades de pensamento crítico, sendo capazes de formar opiniões fundamentadas e respeitosas.

  2. Promoção do Respeito à Diversidade: Através do estudo da xenofobia e dos refugiados, os alunos também devem ser incentivados a desenvolver um respeito maior pela diversidade cultural e social, entendendo a importância do acolhimento e da solidariedade.

Introdução (10 - 15 minutos)

  1. Revisão de Conteúdos Anteriores: O professor inicia a aula relembrando conceitos relacionados à Geopolítica e às questões migratórias. Ele pode fazer perguntas aos alunos para avaliar o nível de conhecimento prévio e para estimular a participação ativa. Exemplos de perguntas: "O que é geopolítica?" e "Quais são as principais causas das migrações em massa?".

  2. Situações-Problema: O professor apresenta duas situações-problema para despertar o interesse dos alunos e iniciar a reflexão sobre o tema da aula. A primeira situação poderia ser: "Como vocês acreditam que seriam recebidos se tivessem que se mudar para um país diferente?". A segunda situação poderia ser: "Vocês já ouviram falar de casos de xenofobia no Brasil ou no mundo? Como isso afetou as vidas das pessoas envolvidas?".

  3. Contextualização: O professor explica a importância do estudo da xenofobia e dos refugiados, ressaltando que são questões atuais e relevantes, que afetam a vida de milhões de pessoas em todo o mundo. Ele pode citar exemplos recentes de notícias sobre migrações e xenofobia para ilustrar a relevância do tema. Além disso, o professor pode enfatizar como a geopolítica influencia a percepção e o tratamento dos refugiados e imigrantes.

  4. Ganho de Atenção: Para ganhar a atenção dos alunos, o professor pode compartilhar duas curiosidades relacionadas ao tema. A primeira curiosidade pode ser a origem da palavra "xenofobia", que vem do grego "xénos" (estrangeiro) e "phóbos" (medo). A segunda curiosidade pode ser a história de alguma personalidade famosa que foi refugiada e teve que enfrentar a xenofobia, como o físico Albert Einstein, que teve que fugir da Alemanha nazista e se refugiar nos Estados Unidos.

  5. Apresentação do Tópico Principal: Finalmente, o professor apresenta o tópico principal da aula: "Xenofobia e os Refugiados: Revisão". Ele explica que os alunos irão aprofundar o entendimento sobre o conceito de xenofobia, identificar casos reais de xenofobia no mundo, entender o fluxo de refugiados e analisar o contexto brasileiro em relação à xenofobia e aos refugiados.

Desenvolvimento (20 - 25 minutos)

  1. Atividade de Debate - "Culturas em Movimento" (10 - 12 minutos): O professor divide a turma em grupos de 4 a 5 alunos. Cada grupo receberá uma situação hipotética de migração, por exemplo, uma família de refugiados sírios chegando ao Brasil, ou um grupo de brasileiros migrando para a Europa em busca de melhores oportunidades. O objetivo do debate é discutir as possíveis reações da população local, levando em consideração o conceito de xenofobia e a realidade geopolítica. Os alunos devem analisar as possíveis atitudes de acolhimento ou rejeição, e as consequências dessas atitudes para os migrantes e para a sociedade local. Ao final do debate, cada grupo deve apresentar suas conclusões para a turma.

    1.1. Preparação: O professor fornece as situações hipotéticas para cada grupo e orienta que eles discutam a situação, considerando os conceitos de xenofobia, geopolítica e migrações. Os alunos devem anotar seus argumentos e conclusões para a apresentação.

    1.2. Debate: Cada grupo tem um tempo determinado para apresentar suas conclusões, e os demais grupos podem fazer perguntas ou comentários. O professor deve estimular a participação de todos e garantir que o debate seja respeitoso e construtivo.

  2. Atividade de Pesquisa - "Xenofobia no Mundo" (10 - 12 minutos): Ainda em grupos, os alunos receberão a tarefa de pesquisar e apresentar um caso real de xenofobia no mundo. O professor pode fornecer uma lista de possíveis casos (por exemplo, a xenofobia contra os rohingyas em Mianmar, ou a xenofobia contra os imigrantes venezuelanos no Brasil), ou os alunos podem escolher seus próprios casos. O objetivo é que os alunos aprofundem seu entendimento sobre a xenofobia e seus desdobramentos, e que sejam capazes de relacionar o caso escolhido com a geopolítica global.

    2.1. Pesquisa: Cada grupo deve pesquisar sobre o caso escolhido, levantando informações sobre o contexto, as causas e as consequências da xenofobia. Eles podem utilizar livros, artigos, sites de notícias e documentários como fontes de pesquisa.

    2.2. Apresentação: Cada grupo terá um tempo determinado para apresentar seu caso para a turma. Eles devem explicar o contexto, as causas e as consequências da xenofobia, e fazer uma conexão com a geopolítica global.

  3. Atividade de Análise - "Xenofobia no Brasil" (5 - 7 minutos): Os alunos, ainda em grupos, deverão analisar a situação da xenofobia no Brasil. O professor pode fornecer dados e notícias recentes sobre o tema, ou os alunos podem realizar uma pesquisa rápida online. O objetivo é que os alunos identifiquem como a xenofobia se manifesta no Brasil e quais são suas principais causas, e que sejam capazes de relacionar a situação brasileira com os casos internacionais estudados e com a geopolítica mundial.

    3.1. Análise: Cada grupo deve analisar os dados e as notícias, e discutir as principais características e consequências da xenofobia no Brasil. Eles devem fazer uma conexão entre a situação brasileira e os casos internacionais estudados, e com a geopolítica mundial.

    3.2. Apresentação: Cada grupo terá um tempo determinado para apresentar suas análises para a turma. O professor deve estimular a participação de todos e garantir que a discussão seja respeitosa e construtiva.

Ao final da etapa de Desenvolvimento, os alunos devem ter aprofundado seu entendimento sobre o conceito de xenofobia, identificado casos reais de xenofobia no mundo, compreendido o fluxo de refugiados e analisado o contexto brasileiro em relação à xenofobia e aos refugiados. Além disso, eles devem ter desenvolvido suas habilidades de pensamento crítico e promovido o respeito à diversidade.

Retorno (8 - 10 minutos)

  1. Discussão em Grupo (3 - 4 minutos): O professor deve reunir todos os alunos e promover uma discussão em grupo. Cada grupo terá até 2 minutos para compartilhar as conclusões ou soluções a que chegaram durante as atividades em grupo. Durante as apresentações, o professor deve incentivar os demais alunos a fazerem perguntas e comentários, promovendo, assim, uma interação e um debate saudável e produtivo. O objetivo desta etapa é que os alunos possam aprender uns com os outros, percebendo diferentes perspectivas e soluções para os mesmos problemas.

  2. Conexão com a Teoria (2 - 3 minutos): Após as apresentações dos grupos, o professor deve fazer uma síntese das principais ideias apresentadas, conectando-as com a teoria discutida no início da aula. O professor pode, por exemplo, ressaltar como os conceitos de xenofobia, geopolítica e migrações foram aplicados durante as atividades, e como os alunos conseguiram relacionar os casos estudados com a realidade brasileira. Esta etapa é importante para reforçar o aprendizado e para mostrar aos alunos a relevância do conteúdo estudado.

  3. Reflexão Individual (2 - 3 minutos): Para finalizar a etapa de Retorno, o professor deve propor que os alunos reflitam individualmente sobre o que aprenderam. Ele pode fazer perguntas como: "Qual foi o conceito mais importante que você aprendeu hoje?" e "Quais questões ainda não foram respondidas?". Os alunos devem anotar suas respostas, que podem ser compartilhadas posteriormente, se houver tempo. Esta etapa é essencial para que os alunos possam internalizar o aprendizado, identificar suas dúvidas e refletir sobre a aplicação do conteúdo em suas vidas.

O Retorno é uma etapa fundamental do plano de aula, pois permite ao professor avaliar o alcance dos Objetivos da aula e o nível de aprendizado dos alunos. Além disso, proporciona aos alunos a oportunidade de consolidar o que aprenderam, de refletir sobre o processo de aprendizagem e de identificar possíveis dúvidas ou dificuldades. Portanto, é importante que o professor conduza esta etapa com atenção e cuidado, promovendo uma discussão respeitosa e produtiva e incentivando a reflexão individual.

Conclusão (5 - 7 minutos)

  1. Resumo e Recapitulação (2 - 3 minutos): O professor deve fazer um resumo dos principais pontos abordados durante a aula, lembrando aos alunos a definição de xenofobia, os casos de xenofobia ao redor do mundo, o fluxo de refugiados e a análise do contexto brasileiro. Ele pode relembrar brevemente as principais conclusões e reflexões dos alunos durante as atividades em grupo e o debate em classe. Além disso, o professor deve reforçar a importância do uso da geopolítica para entender e analisar as questões de xenofobia e refugiados.

  2. Conexão entre Teoria, Prática e Aplicações (1 - 2 minutos): O professor deve explicar como a aula conectou a teoria, a prática e as aplicações. Ele pode destacar como a atividade de debate permitiu aos alunos aplicar a teoria sobre xenofobia e geopolítica a situações práticas de migração. Além disso, o professor pode ressaltar como a análise de casos reais de xenofobia permitiu aos alunos entender as aplicações práticas dos conceitos teóricos.

  3. Materiais Extras (1 - 2 minutos): O professor deve sugerir materiais extras para os alunos que desejam aprofundar o estudo sobre xenofobia e refugiados. Esses materiais podem incluir livros, artigos, documentários, filmes e sites de organizações internacionais que trabalham com refugiados. O professor pode, por exemplo, sugerir o documentário "Human Flow" de Ai Weiwei, que aborda o tema dos refugiados em diversas partes do mundo.

  4. Importância do Assunto para o Dia a Dia (1 minuto): Por fim, o professor deve resumir a importância do assunto da aula para o dia a dia dos alunos. Ele pode enfatizar como o entendimento do fenômeno da xenofobia e do fluxo de refugiados pode ajudar os alunos a compreenderem melhor as notícias e os eventos atuais, e a formarem opiniões mais informadas e respeitosas sobre esses assuntos. Além disso, o professor pode destacar a importância do respeito à diversidade e da solidariedade em um mundo cada vez mais globalizado e interconectado.

Ver mais
Economize seu tempo usando a Teachy!
Na Teachy você tem acesso a:
Aulas e materiais prontos
Correções automáticas
Projetos e provas
Feedback individualizado com dashboard
Mascote Teachy
BR flagUS flag
Termos de usoAviso de PrivacidadeAviso de Cookies

2023 - Todos os direitos reservados

Siga a Teachy
nas redes sociais
Instagram LogoLinkedIn LogoTwitter Logo